Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Uma Putinha Enlouquecendo os Pedreiros

    Ela era uma ninfetinha no máximo vinte anos, cabelos loiros até a cintura, bundinha arrebitada, coxas grossas e seios pequenos que nem necessitava usar sutian, ela só usava na praia confidenciou depois.
   Seu bronzeado contrastava com seus olhos de um verde lindissimo e ainda tinha um rosto de menina ingênua que deixava todo mundo louco.
   Trabalhava como pedreiro para me recuperar financeiramente numa época que estava praticamente quebrado e foi ali que conheci essa pequena deusa.Essa menina morava ao lado da obra que eu estava trabalhando e veria ela passar muito pela calçada aqui em frente. Num sábado pela manhã ví ela passando com seu biquini, e deixando além de mim todos os pedreiros enlouquecidos, est´vamos no intervalo e ela entrou no buteco pedindo uma guaraná que foi sugado vagarosamente, após sua saída, a putinha ainda se debruçou sobre uma revistas na banca aqui em frente empinando aquela deliciosa bundinha, foi aí que começei a segui-la e ví que iria pegar um ônibus, subi logo atrás como um verdadeiro tarado, mas ela acabou prensada ficando na frente de um velho com cara de tarado(tambem com aquele corpinho na frente).Notei que o velhinho se encaixava na ninfeta e ela nem bola, comecei a me animar e sutilmente começei a empurrar o velhote ficando em seu lugar e ao me ver a ninfeta suspirou aliviada jogando a bundinha para trás. Com a mão direita espalmei aquele traseiro gostoso e passei a abraçá-la como namorado, ela fez sinal para descermos e entramos num hotel barato aí pude curtir cada pedaço daquela ninfeta, lami, chupei ,meti em cada buraquinho e ela gemia como uma gata no cio, passei a comê-la todos os dias, sendo chamado para sua casa onde faziamos loucuras. Um dia sua mãe nos pegou no momento em que eu comia sua bundinha e aí, ganhei uma amante, a mãe da moça era uma delicia, acabei me mudando para lá e até as empregadas eu comia, me sentia no paraiso...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

119-Parecia Filme-Aniversário no Escritório

   Vivi um dia de Principe com suas escravas sexuais, parecia um filme, foi assim:
 Trabalho em um escritório que só tem mulheres, afinal de contas o dono sou eu e eu contratei todas fui eu e como todos nós temos aquele lado "selvagem", são todas belas mulheres cada uma com seu estilo. Pois bem, era sexta feira e era meu aniversário, mas tinha muito trabalho para fazer naquele dia e acabei recusando convites para sair, teria que ficar preso no escritório mesmo.
   Acordei cedo como todos os dias tomei meu banho , me vesti e fui para o escritório, ao chegar somente as moças da cozinha estavam lá e pedi que me levassem um chocolate quente e algo leve para comer, tipo torrada.
  Minutos depois Janete batia na porta e trazia a bandeija com o que eu pedira, notei um sorriso sacana em seu belo rosto de mulata, sorriso lindissimo, corpo escultural e aquele arzinho de safada, vestia aqueles uniformes tipicos de copeiras, tambem escolhido por mim, era preto, justo e marcava bem aquele corpaço. Ela me serviu, ficando parada ao meu lado na mesa, enquanto ela servia, afastei um pouco a cadeira para ter a visão de seu corpo e começei a alisar suas belas pernas. Janete sorriu e disse que lembrava que era meu aniversário, dizendo isso se apoiou na mesa bem na minha frente e puxou o uniforme e surgiu aquela bunda que eu costumava comer toda a semana, beijei aquele bundão e ela se virou ficando de joelhos, abriu minha calça, tirou meu sexo para fora e chupou com muita delicadeza, ficou assim alguns minutos, até que bateram na porta, ela se ajeitou, me deu um beijo e deu os parabens e saiu com a bandeija.
  Quem batia na porta era Darlene, moça recém contratada e que costumava chegar cedo, ela veio em minha direção com um sorriso malicioso, sentou em minha mesa, abriu as pernas e percebi que estava sem calcinha, sorri e perguntei se aquilo era meu presente, caí de boca naquele sexo jovem e perfumado, ela se atirou para trás na mesa quase derrubando meu chocolate quente, me levantei e como já estava com o sexo de fora mesmo oferecí para ela, era a primeira vez de Darlene comigo e eu estava achando o máximo, ela chupou deixando bem babado, puxei ela pra mim e meti em seu sexo, ela gemia baixinho, quase gozei, ela se levantou e foi trabalhar, aproveitei para comer a torrada e tomar o chocolate, chamei Janete para buscar o prato e o copo, mas quem veio foi Anita, a nova copeira, e eu nem tinha me ajeitado ainda da aventura anterior, ela deu a volta na mesa mostrando aquela bunda gostosissima evidenciada pelo uniforme que ao contrário do de Janete era branco e levemente transparente, notei a pequena calcinha e fiquei louco, levantei e perguntei se ela sabia que era meu aniversário e ela respondeu que era por isso que estava ali, me deu um beijinho no rosto e eu a abracei, aproveitei para colocar as mãos em sua bunda, ela me olhou nos olhos e disse que seria meu presente, levantei o uniforme, tirei sua calcinha, coloquei no bolso do terno que eu ainda vestia e pedi que ficasse de quatro no sofá, que visão, peguei na gaveta meu tubo de vaselina liquida e fui atacar aquele rabinho, ela gritou alto e depois começou a gemer gostosamente, enquanto eu massageava seus seios, nessa hora gozei. Darlene foi embora perguntando se poderia voltar no final da tarde, respondi que sim e fui ao banheiro me limpar, tirei a calça e a cueca, ficando semente com a camisa, o terno eu tirei um pouco antes de Darlene ir ao sofá.
   Enquanto estava ali no banheiro nem escutei quando Wanda entrou e estava me olhando, ela tinha intimidade e nem batia mais na porta, ela estava divina como sempre, com uma blusa decotada que evidenciava seus belos e grandes seios e usava uma minissaia que mostrava suas belas pernas e era do tipo que nem precisava usar meias, suas pernas eram bem torneadas e bronzeadas, era do tipo coxuda, gostosa em todos os requisitos, Wanda entrou no banheiro para me dar os parabens, me abraçou por trás encostando aqueles peitões em minhas costas, aproveitei para tirar a camisa e a gravata e ela começou a alisar meu peito, inevitavelmente fiquei excitadissimo e me virei, wanda se ajoelhou e abocanhou meu sexo como só ela fazia, uma delicia de mulher, minha putinha, era como eu a chamava nessas horas, Wanda já tinha mais de cinquenta anos mas era muito gostosa, o que nós não esperávamos é que renatinha , a filha de Wanda , estava na sala e só nos olhava de longe, estava com vinte e poucos anos e era tão gostosa quanto a mãe putinha. Renata me cumprimentou e pediu licença para a mãe e caiu de boca tambem, agora eu tinha mãe e filha me chupando, Wanda levantou me deu um beijo na boca e disse que voltava mais tarde, Renatinha então pediu que eu fechasse a porta, foi o que fiz, ao voltar Renatinha estava só de calcinha me esperando, pedi que me abracasse, apertei aquela bunda, chupei aqueles peitões, tirei sua calcinha, chupei aquele sexo e pedi que ela me cavalgasse, ela rebolava sensualmente enquanto eu massageava seus seios, que balançavam lindamente. Por fim não podia deixar de comer aquela bundinha e lá fui eu buscar minha vaselina, acabei inaugurando aquele rabinho e ganhei o melhor dia de aniversário de minha vida, e o trabalho que estava atrasado não foi entregue, tive que trabalhar no final de semana, o problema é que as copeiras estavam lá, mas isso é outra história..

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Despedida de Solteira-118



           Estava de férias pelo nordeste e só curtia a piscina do hotel depois de ter passado a semana inteira na beira da praia quando ví três mulheres sensacionais que olhavam para mim e sorriam, até olhei para trás para ver se era alguem atrás de mim mas não, era comigo mesmo. Fui ficando curioso com aquela situação, até que ela se aproximaram e foram se apresentando e aí confessaram o porque dos risinhos. Elas estavam preparando uma festa de despedida de solteira para uma amiga que casaria naquele final de semana. Curioso perguntei porque eu era o escolhido e elas disseram que eu era diferente dos "locais" por ter a pele clara e não ser moreno como era o mais normal naquela cidade. Aceitei e para minha surpresa a festa seria ali mesmo naquele hotel e a noiva não sabia de nada, queria apenas aproveitar o último dia de solteira.
   Elas então pegaram meus dados pessoais e disseram que me ligariam à noite para que eu subisse no quarto da noivinha. Antes delas sairem perguntei quem era a noiva e como ela era fisicamente, óbvio que eu não queria cair numa grande roubada e comentei que se fosse tipo elas, as amigas, para mim estava ótimo, elas disseram que sim e que ela era muito assediada por onde passava, então elas sairam e eu fiquei ali só pensando como seria aquela noite.
   Por volta das oito da noite elas me ligaram e disseram que estavam na suite presidencial o que evidenciou que se tratava de gente importante, afinal de contas aquele hotel era cinco estrelas.Ao entrar na suite percebi alegremente que estavam ali talvez as mais belas mulheres daquela cidade, todas bem vestidas com vestidos decotados colados nos corpos quase que esculturais, eram cerca de doze mulheres, todas morenas e confesso que de rosto nenhuma chamava muito a atenção.mas os corpos eram um melhor que o outro, algumas mais animadas vieram me cumprimentar, pois já sabiam da sacanagem, uma delas chegou a dar uma lambida em minha orelha confessando que sentia inveja da noiva, outra não se conteve em só me abraçar e deu uma apertada no meu pau já duro com aquela situação um tanto inusitada, outras apertaram minha bunda e depois de me sentir um pouco constrangido fui me soltando e conversando animadamente com todas. Em certo momento aquela que havia segurado meu pau me puxou para um local mais reservado e disse que precisava ver meu pau,, e é claro que botei pra fora e ela gulosamente caiu de boca dando uma bela mamada, mas foi logo repreendida por outra que disse que aquilo não era certo, o presente era para a noiva, a primeira então voltou para a sala e esta que deu a bronca, me olhou nos olhos e disse que olhando meu pau ficou com vontade de chupar tambem e eu disse fique a vontade e láse ajoelhou mais uma beldade que ao ficar em minha frente revelou belos seios por trás do decote profundo, enchi a mão num daqueles seios e pedi para dar só uma chupadinha naqueles mamilos e ela respondeu que sim mas por favor bem rapidinho que eu só vim te buscar para te levar até a noiva que já estava no quarto, perguntei se poderia encontra-la depois e ela sorridente disse: -claro que sim, depois da noiva sou a primeira da fila.
   Fui então encaminhado até o quarto e lá estava a noivinha só de camisola com uma lingerie por baixo que revelava um corpinho bem gostoso, seios grandes, bunda arrebitada, coxas grossas e uma cara de safada. Beijei sua boca e disse um "oi", ela sorrindo me puxou para cima dela, pedi que eu tirasse suas roupas e fui tirando sua camisola, seu soutien, sua calcinha e parti para o sacrificio e comecei a chupar aqueles belos seios enquanto deslizava minha mão para seu sexo, senti suas coxas tremerem de tanta excitação, fui para cima dela, abri suas pernas e meti bem devagar, ela gemeu alto e mordeu meu ombro, meti muito e à fiz ficar por cima para rebolar no meu pau e ela era boa nisso ela sorria e rebolava, pensei que se era para ter prazer que fosse completo então pedi que ela me chupasse, ela fez , então pedi que ficasse de quatro e comi aquele cuzinho apertado até gozar, ela gritava de prazer e pedia mais e mais, ficamos ali por horas e quando ela foi dar um cochilo aproveitei para ir ao banheiro e me surpreendi ao ver que as amigas ainda estavam por ali.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Uma Babá de Volta-117


      Minha vida andava monótona, trabalho para casa, casa para o trabalho, sempre nessa rotina, nada de novo e o pior não tinha conseguido sair da casa de meus pais, quase trinta anos e eu lá morando com eles.
   Um dia ao chegar do trabalho encontro na sala uma morena lindissima, gostosa, que me recebeu com um lindo sorriso e veio me abraçar, aproveitei e abraçei forte aquela mulher que eu nem sabia quem era.
   Foi quando minha mãe, quase me despertando de um sonho acordado me disse, esta aí era tua babá quando tinhas dez anos, foi aí que me lembrei, era Anita, que me cuidou dos cinco aos treze anos e que havia sido musa de minhas primeiras masturbações, lembrei que um dia eu estava no quarto sozinho em casa, nem tinha visto Anita por ali e comecei a me masturbar quando ela entrou no quarto e ficou me olhando. Dei um pulo, escondí o pau mas Anita sentou em minha cama e disse que se eu quisesse ela me ensinaria a ter prazer.... mais uma vez minha mãe me chamou a atenção e esqueci as lembranças. e voltando aquela visita inesperada, Anita disse que estava sem dinheiro e não poderia voltar para sua cidade no interior. Então minha mãe à convidou para dormir lá em casa, aqui em casa cada um tem seu quarto, Anita acabou dormindo na sala.
   No meio da noite fui tomar uma água e ao passar por Anita tive que ficar olhando aquela beldade esticada no sofá, ela dormia profundamente com uma camisola curta tipo baby-doll, e estava com uma calcinha cor de rosa toda enfiada naquele bundão gostoso, meu pau endureceu na hora, me aproximei e começei à alisar aquelas pernas, aquela bunda grande e macia, enfiei o dedo em seu cuzinho, toquei sua bucetinha, beijei aquela bunda, me levantei e fui tomar minha água, minha mãe poderia acordar à qualquer momento e eu estava prestes a fazer uma loucura. Ao voltar, Anita tinha se virado, estava agora com os seios de fora, seios pequenos mas muitos gostosos de se ver, fui até ela de novo e começei a tocá-la de novo. Alisei aqueles biquinhos, e me arrisquei a chupar um a um, eu chupava e passava a mão de leve sobre sua calcinha, tocando aquela bucetinha que devia ser gostosissima como todo o resto, er abem cabeluda e aquilo foi me dando um tesão cada vez maior. Afastei um pouco a calcinha e começei a brincar com aquele grelinho, Anita foi ficando molhadinha, tentei tocar seu sexo com a lingua e lambi de leve aquela fruta deliciosa.
   ouví um barulho vindo do quarto de meus pais, me levantei  e fui para meu quarto, onde começei a me masturbar, pensando naquela delicia.
   Estava quase gozando quando ví um vulto passar no corredor, era anita, que tinha ido ao banheiro, esperei ela retornar e à chamei para uma "conversa", ela veio e sentou ao meu lado na cama e perguntou: o que meu patrãzinho precisa? Tomei coragem e disse que queria um beijinho, ela prontamente beijou minha boca, mas eu respondi que não era na boca que eu queria o beijinho, e então baixei minha cueca com o pau durissimo na mão disse: -é aqui que eu quero um beijinho, ela me olhou com uma cara de safada e caiu de boca chupando como se fosse um delicioso picolé. Depois de muito chupar ainda com aquela cara de safada ela perguntou se era só aquilo que eu queria e eu obviamente disse que queria vê-la de quatro na minha cama, empinando aquele rabo gostoso, levantei e fui trancar a porta do quarto e ao me virar tive a melhor visão de minha vida, aquela deusa de quatro na minha cama, com a calcinha ainda enfiada na bunda, tirei aquela calcinha e meti naquela bundinha, depois de "untar" todo aquele cuzinho. Comí Anita todos os dias em que esteve aqui em casa, ela acabou ficando um mês inteiro, e confesso nunca mais ví uma bundinha daquelas assim á minha disposição.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Uma "Inocente" Carona-116


      Aconteceu essa semana, fui levar minha esposa para visitar seus pais no interior, e lá pelas 13 horas entramos numa cidadezinha no caminho para almoçarmos e enquanto esperávamos uma mesa no restaurante minha esposa começou a conversar com uma mulher que tambem esperava uma mesa, descobrimos que ela iria para o mesmo local que nós e oferecemos uma carona, ela contou que iria visitar sua irmã, deixamos ela em um ponto de ônibus logo que chegamos.
   No dia seguinte lá pelas 10 da manhã começei minha viagem de volta e ao passar pela rodoviária lá estava nossa nova amiga, fiquei admirando aquela bela mulher de corpo bem torneado, coxas grossas seios grandes e uma bunda arrebitada. Ela ficou surpresa ao me ver e eu disse que estava voltando e poderia lhe dar uma carona e ela aceitou mais uma vez. Durante a viagem ela confessou que seu casamento não estava indo bem, pois seu marido viajava muito e preferia sair com os amigos do que com ela.Ao terminar essa confissão ela com uma lágrima no olho disse que estava muito carente e ao dizer isso apoiou a mão em minha perna.Eu por minha vez aproveitando que ela vestia uma mini saia acabei acariciando suas belas pernas sem encontrar resistência, ela elogiou meu toque e disse que minha mão era macia, foi aí que comentei que era massagista nas horas vagas e que qualquer hora lhe faria uma bela massagem, ela respondeu que poderia ser naquele dia mesmo e sugeriu que fôssemos à um motel na beira da estrada mesmo, nossa, meu pau parecia que iria furar as calças e obviamente mudei o trajeto para o motem mais próximo. Entramos já tirando nossas roupas e trocamos muitos beijos, ela aproveitou os beijos e foi descendo e deslizando por meu corpo até abocanhar meu pau durissimo, parecia que iria engolir todo, chupava as bolas, a cabeça, como alguem que há muito precisava daquilo na boca.Quase gozei , mas resolvi adiar e puxei ela e parti para seus belos seios que não cabiam em minhas mãos pelo tamanho, confesso que poucas vezes tive uma mulher com seios tão grandes e firmes ao mesmo tempo., suguei um a um, desci e caí de boca naquela bucetinha sedenta de lingua e pau. Em pouco tempo ela gozava gemendo de prazer e era lindo ver aquela linda mulher sentindo muito prazer, principalmente porque era comigo.Descansamos um pouco e começamos tudo de novo e enfiei muito naquela bucetinha gostosa e quase virgem , ela me confessou que não dava há alguns meses, gozamos juntos gritando muito(confesso que eu nunca tinha sido escandaloso assim). Tomamos um banho, almoçamos e seguimos viagem , agora como namorados, à noite nos encontramos de novo e fomos direto para um motel  e de cara fizemos um 69, que delicia aquela mulher, chupava como ninguem e tinha uma bucetinha gostosissima parecia que tinha sido feita para ser chupada.Foi então que ela me surpreendeu e eu tive certeza que seu marido era um trouxa ou veado mesmo, ela disse que gostaria de ser enrabada pois seu marido nunca quis comê-la assim e ela tinha muita curiosidade, que sacrificio, tive que realizar aquele desejo.Ela ficou de quatro com aquele rabão à minha inteira disposição e eu lubrifiquei bem aquele buraquinho e meti bem devagar, ela delirou, chorou, gritou e pediu mais, gozei muito naquele rabinho e acabamos dormindo ali mesmo. Pela manhã acordei com ela me chupando e fingi que ainda dormia só para curtir aquele momento, comí ela de novo de tudo quanto era jeito e fomos embora, nunca mais à ví, infelizmente, mas talvez ela leia esse conto e lembre de mim.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

No Set de Gravação-115

     Ela era uma das companheiras de gravação, num primeiro momento nem chamou muito a atenção, mas a simpatia dela acabou me cativando.
   Era uma morena do tipo "falsa magra" e ao ficar na minha frente percebí o quanto era gostosa. Foi só ela se levantar e ficar rebolando na minha frente para perceber o que se escondia ali por baixo daquelas roupas pesadas.
   Tínhamos que esperar para ir ao banheiro e todos íamos em filas, pois estávamos dentro de um Estádio de futebol, e numa dessas idas(só eu fui umas cinco vezes, pela quantidade de água que tomava), ela me deu uma piscada e fez sinal para que eu a seguisse, achei que nem era comigo, mas era, dei um tempo e fui atrás.
   No meio do caminho tinha um casal que ninguem via e foi ali que ela me puxou, me deu um beijo do tipo "melacueca", que me acendeu por completo, se é que isso era possivel estando com uma mulher daquelas,. O amasso foi infelizmente rápido e acariciei todo aquele corpo, e rapidamente tambem chupei aqueles seios de tamano médio para grande.Mas o que eu queria era aquela bunda gostosa e magrinha, ela era demais, estava com uma minúscula calcinha toda enfiada na bunda e ficava linda dentro daquela bundinha empinada, parecia desenhada à mão por um grande artista.
   Por conhecer bem aquele estádio eu sabia que existiam pontos que ninguem ou poucos conheciam e para lá levei minha musa, tirei toda sua roupa e começei a lamber aquele corpinho, ela gemia, me mordia e pedia que chupasse sua bucetinha já muito molhada e eu parti pro sacrificio, era uma delicia e gemia cada vez mais me deixando louco com aqueles sons emitidos por sua boquinha carnuda. Depois de gozar em minha boca pediu para me chupar e eu de tanto tesão até fiquei com medo de gozar naquela boquinha, mas aguentei firme aquele boquete, ela então disse que teria que ser rápido pois as cenas eram muito rápidas e coloquei ela de quatro e meti bem devagarzinho naquela posição que segundo ela era sua preferida,antes de gozar fiz ela sentar em minha frente e engolir tudo. Com um lindo sorriso ela me agradeceu e passou seu telefone, voltamos para a gravação e ainda levamos uma bronca pelo atraso, mas valeu a pena. Nunca mais ví aquela deusa morena.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Uma Bela Palestrante-114


    Ao chegar ao evento, fiquei alí só "secando" aquela coroa. Tinha belas coxas que podiam ser vistas através da transparência da saia curta.
   Dei uma olhada como quem não quer nada, mas que no fundo quer tudo, me surpreendí quando descobri que aquela bela mulher era a palestrante a quem eu iria assistir.
   Mostrei interesse pela palestra, que aliás era muito interessante e ao final fui perguntar e esclarecer algumas dúvidas, e ela gentilmente me respondeu, conversamos um pouco e fomos para o andar de cima daquele belo hotel. Descobrimos muitas afinidades, infelizmente descobri que era casada, mas o marido não "comparecia muito" segundo ela se expressou, e curioso perguntei o que seria o "não comparecer muito?",  e ela, prontamente disse que estava sempre pronta  e o marido nos últimos anos negava fogo, perguntei então se ela era muito fogosa ou o marido que era muito devagar, e ela sorridente disse: -as duas coisas.
   Eu como um bom galanteador disse que com uma mulher daquelas não negaria fogo e seus olhos nesse momento brilharam e foi aí que sugeri que ela jantasse comigo e ela aceitou na hora.
   Fomos para o restaurante do hotel e jantamos, conversamos sobre vários assuntos e rimos muito e ela me confessou que estava muito cansada e só uma massagem naquele momento a satisfaria quase que completamente. Disse à ela que sabia fazer uma ótima massagem mas que o "quase" havia me deixado curioso, eela mais uma vez com aquele sorriso encantador disse que isso eu teria que descobrir.
   Ela então me convidou para ir à sua suite, no mesmo hotel que estávamos, e fomos.Ao chegar no quarto ela foi tomar uma ducha, esperei que ela saísse e fui logo depois, o calor era demais. Preparei a cama para a massagem e quando ela surgiu novamente me surpreendi mais ainda com a beleza de seu corpo, era muito mais gostosa do que eu pensava, ela deitou e começei a massagear seus pés, subi para as coxas e ao chegar naquela bunda, abri suas pernas e dei suaves lambidas em seu sexo, mas não parei com a massagem, disse que ela iria relaxar e assim fiz, depois disso ela ficou pronta para mim e ficamos ali por longas horas fazendo de tudo e realizando alguns desejos que ambos sabiam que seriam únicos....

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Isófoles, Uma Mulher Espetacular e Suas Amigas-113

      Isófoles era uma mulher diferente, não só pelo nome bastante interessante e quase exótico. Ela não chamava a atenção, era do tipo alta, cerca de 1,80 cm, corpo magro que causava surpresa quando se despia, pois nessa hora surgia um verdadeiro mulherão.
   Conhecí essa bela mulher nas escadarias do prédio , e ali surgiu uma transa corriqueira, ela não tinha restrições, topava tudo e tinha uma bunda....Foi a escolhida das segundas.
   Deise, já era diferente, quando à conheci era gostosissima, corpo bem moldado, seios grandes, cara de safada, se dizia especialista em boquete e era só estar com ela para comprovar que ela falava a verdade, era dificil não gozar naquela boquinha.E como minha preferência e a da maioria dos Brasileiros é a bunda, ela tinha uma espetacular e não negava aquele buraquinho, ela ficou para as terças.
  Renata era novinha, recém dezoito anos completados, um corpinho tipico da idade, pernas grossas, uma bundinha arrebitada, pronta para ser enrabada, a cara é que não ajudava, era a minha "pequena Raimunda".à principio me choquei por ver uma moça tão nova por ali, mas o tesão era maior e ela ficou para as quartas.
   Fernanda era negra como a noite, um sorriso lindo, um corpinho bem feito, adorava sexo, mas dizia que com ela sexo anal não rolava, me contive enquanto pude, até que um dia implorei aquele rabo, ela não se arrependeu.Virei freguês e todas as quintas estava ali batendo ponto.
   Amanda era a tipica gostosa da zona, todo mundo queria comer, e muitos realmente comeram, tinha grandes seios, chupava feito profissional especialista nessa arte, e tinha uma bunda de enlouquecer, e com ela realmente enlouqueci.e deixei ela para as sextas.
   Bruna era a dona do bordel, só dava para clientes especiais, convenci e peguei ela de jeito e se eu estivesse em forma comeria sempre, eu me tornei um cliente especial.E por ser a dona eu a recebia em casa aos sábados e meus sábados nunca mais foram os mesmos.
   Dafne, se deu mal, pois um cliente tinha um pau enorme e segundo ela, quase foi rasgada, nunca mais à ví por ali mas as lembranças do "carandirú" nunca saíram de mim.E Hoje ainda fico excitado só de lembrar que voltava com os bolsos vazios depois de passar a semana com essas vadias gostosas e profissionais.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Prazer num Assalto?-By Sapinha

 
     É Possivel ter prazer durante um assalto?eu certamente diria que não até semana passada quando essa história aconteceu comigo...
   Estava em casa eu e meu marido quando a campainha tocou, fui atender e fui jogada para trás pela força daquele empurrão, tentei até gritar mas não consegui, um homem se aproximou anunciando um assalto. Eram três homens e um deles perguntou se tinha mais alguem em casa e respondi que meu marido estava, era só ele e eu. O mais velho que parecia ser o chefe pediu que entregassemos tudo, jóias, dinheiro e me segurou pelo braço para que fosse com ele buscar tudo, meu marido foi amarrado e vendado junto ao sofá da sala.Ao chegar ao quarto tive que subir uma pequena escada e o chefe dos bandidos alisou minhas coxas e apertou minha bucetinha, gritei pelo susto, ele me olhou e disse para mim não gritar e que eu era muito gostosa e ele não tinha resistido, aproveitando minha posição senti uma mordida na bunda e minha calcinha foi parar no chão, fiquei com medo e pedi que não fizesse aquilo, eu era recem casada, era um ano de casamento e só tinha dado para meu marido, mas ele respondeu que eu era muito gostosa e que iria me comer de qualquer jeito, me pegou no colo e me jogou na cama, abriu minhas pernas e começou a me chupar . Nessa hora o segundo assaltante entrou no quarto e reclamou que primeiro deveria fazer os negócios e que só depois viria o prazer, o que me chupava nem deu atenção e disse que com uma gostosa daquelas, ele queria sempre o prazer em primeiro lugar, confesso que gostei, aliás aquela lingua era uma delicia, percorria toda minha bucetinha, nem notei que a discussão continuava pois eu gozava feito uma cadela no cio. meu comedor pediu que trouxessem meu marido para ver a mulherzinha dele sendo fodida de verdade, pedi que não fizesse aquilo, mas eles trouxeram meu marido mas eu fechei os olhos, só senti que minhas pernas foram abertas e fui penetrada vigorosamente, e gozei muito, foi então que o outro assaltante que assistia tudo se animou e colocou seu pau em minha boca e gozou em seguida, mas ainda tinha o terceiro que chegou perto de mim e me mandou ficar de quatro e enfiou sem perdão no meu cuzinho até então virgem, me arrependi de não ter dado para meu marido quando ele pediu carinhosamente. os ladrões foram embora e eu fiquei ardida, soltei meu marido que me abraçou e me disse que se não tivesse sido fodida por três me comeria. Respondi que por ele faria qualquer coisa, então ele aproveitou meu rabinho recem inaugurado e me comeu, agora com muito carinho. Delirei e passamos a fazer sexo sem limites e com muito prazer....

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Mulher de Amigo...

       Tinha um amigo que com o tempo acabou virando outra coisa, era daqueles parceiros, mas que passou muitas dificuldades na vida e quando começou a ganhar dinheiro se tornou insuportável, acabei me afastando, mas a amizade com sua mulher continuou, e que mulher...
   A mulher de meu amigo nunca tinha me notado do jeito que eu queria, ela era daquelas mulheres gostosas mas que ao primeiro contato não chamava a atenção. Tinha quadris largos e uns seios maravilhosos. Certo dia bati em sua porta para pegar algo emprestado e ao me aproximar ouvi gemidos, pensei que meu amigo tinha ficado em casa, voltei para meu carro e esperei um pouco, depois de um tempo ví um homem saindo pela porta dos fundos e então toquei a campainha, ela demorou a atender e quando apareceu estava de roupão dizendo que devido ao calor tinha ido tomar um banho.Peguei o que fui buscar mas fiquei curioso com aquela situação e passei a vigiar aquela bela mulher.
   Certo dia fiquei na janela e ao ver o tal sujeito entrar me escondi com uma posição privilegiada, e ví que ao entrar ele deu um beijo naquela boca e encheu a mão naquela bunda volumosa que agora eu já olhava com outros olhos.
  Dali foram para o quarto e continuaram os amassos e foi quando tive certeza do que realmente acontecia naquelas tardes e fiquei excitadissimo com minha "amiga".
  Numa das tardes esperei o sujeito sair e toquei a campainha e já entrei dizendo que aquilo não era certo com meu amigo, ela começou a chorar e confessou que o marido não a procurava mais, então a abracei, enxuguei suas lágrimas e confessei que tinha ficado muito excitado vendo ela ser enrabada pelo amante, ela respondeu que adorava aquilo e que não sabia que eu a desejava assim e começou a brincar mostrando seu corpo que estava coberto apenas por uma camisola curta.
   Ela dizia assim: -quer dizer que esses seios te excitam? e mostrava aqueles peitões, então se virou e mostrou a bunda exposta por uma minuscula calcinha, e dizia: -e minha bunda é tão gostosa assim?. Não resisti e fui pra cimae beijei todo aquele corpo me concentrando naqueles seios enormes, chupei um a um demoradamente, botei o pau pra fora e fiz uma espanhola sensacional e então pedi que ela me chupasse e ela engoliu tudo com muita sensualidade, jorrei naquela boquinha e confessei que era louco por aquela bunda, ela se posicionou de quatro e comi aquele rabo tanto desejado tambem com muito carinho, ela gemia baixinho e pedia mais, nem preciso dizer que ela largou o amante e virou exclusividade minha.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Quando Eu era Padre

         Me formei em teologia e como teria que fazer um estágio, preferi ir para o interior do meu estado e no momento que eu estava só pensava em passar boas lições e meditar muito para que o sonho de ser realmente um padre pudesse virar realidade, o problema era que eu apreciava e muito a beleza feminina e isso era uma barreira que eu teria que transpor e  até por isso preferi uma cidade pequena para que não sofresse com as tentações do corpo, principalmente o meu.
    Cheguei na cidade e prontamente fui até a paróquia local que era bem pequena mas muito organizada, tomei um banho e fui conhecer a cidade e em cada canto que eu chegava e me apresentava como no padre eu era muito bem recebido, notei que por ser uma cidade litoranea, as mulheres andavam muito a vontade e isso por um certo momento me deixou um pouco inseguro, mas fazer o que era normal por ali que se vestissem assim.
   Almoçei e aproveitei para conhecer a biblioteca e a sala de meditação e ali fiquei por alguns instantes, até que bateram na porta, era uma mulher belissima, com um vestidinho tipo saida de banho com um tecido bem leve que dava para perceber que por baixo vestia um minusculo biquini preto.Acenei para que ela entrasse e continuei minha leitura e meditação, ela então chegou mais perto e me pediu que a ajudasse a encontrar um livro, fomos então até as estantes para buscar o tal livro, me posicionei atrás dela para pegar um livro no alto da estante e ela veio com seu corpo de encontro ao meu, nem preciso dizer que ruborizei na hora e começei a ficar um pouco suado, ela disse que não era esse o livro e se afastou um pouco em direção a outra estante, e então mais uma vez ela roçou a bunda e devo dizer que era um bundaço, mas aí meu pau endureceu e dessa vez não fiz questão de me afastar e fiquei ali pagando para ver, eu estava vestido com uma camiseta e uma calça de abrigo, então a abraçei por trás e segurei seus belos seios que mal cabiam em minhas mãos, ela então se virou e começamos a nos beijar loucamente, ela segurou meu pau por cima da calça, depois se ajoelhou e colocou todo na boca e me chupou  deliciosamente, gozei naquela boquinha e me afastei para trancar a porta, voltei peguei aquela deusa no colo e a coloquei em cima da mesa de leitura, tirei seu vestidinho, afastei aquela calcinha e começei a chupar aquele sexo já molhado, virei ela de frente pra mim, tirei sua calcinha, coloquei no meu bolso como lembrança e aí sim arregaçei aquelas pernas e chupei com vontade aquela gostosa, chupei aqueles seios grandea e firmes, beijei muito aquela boquinha gulosa e introduzi naquela bucetinha gostosa, ela gemia como uma gata no cio, bombeei muito, peguei ela no colo e pedi que ficasse de quatro numa poltrona que tinha ali, ela não negava nada se posicionou, peguei uma vaselina que usava para fazer massagens untei aquele rabinho e meti suavemente me deliciando com cada centimetro que entrava, ela rebolava muito e acabei gozando de novo, aí acabou meu gás, ela se arrumou e fiquei como disse antes com aquela calcinha de recordação, ela acabou virando minha amante, descobri depois que era casada. Fiquei durante dois anos naquela cidade e acabei desistindo da vida religiosa, mas as mais gostosas da região acabei comendo sempre com muito carinho, elas me adoravam, principalmente minhas missas que estavam sempre cheias.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A Sogrinha na Praia

     Estávamos na praia eu, minha namorada, minha cunhadinha, meu sogro e a deliciosa da minha sogrinha, o detalhe é que quando eu estava com minha sunga notava os olhares de minha sogra em direção a meu sexo, na beira da praia eu usava óculos escuros para ficar admirando aquela delicia que assim não percebia que eu á olhava e notava seus olhares tambem, mesmo que as vezes ela tentasse disfarçar. Minha sogra é uma morena gostosa de 41 anos e tem um rabão que parece ter nascido para ser penetrado, seus seios eram grandes e firmes apesar da idade e dos filhos e ela ainda tem a mania de usar aquelas blusinhas coladas ao corpo que realçam ainda mais aqueles verdadeiros melões, sem contar o desenho de seu sexo que fica estufado naqueles biquinis que ela usa. Numa madrugada acordei para ir no banheiro e ví essa cena acima, ela só com uma calcinha enfiada naquele bundão, uma delicia, se revirava na cama, nesse dia ela estava sozinha pois meu sogro tinha voltado para a cidade para seu trabalho, fiquei por um tempo espiando aquela gostosa e voltei pro meu quarto. Um pouco mais tarde percebi que alguem me observava na porta, eu estava só de cueca devido ao calor mas já estava com muito tesão depois de ter visto aquela bela morena esticada na cama tão pertinho, meu sexo estufava a cueca, notei que ela foi entrando no quarto e foi chegando perto de mim, agora ela vestia um baby doll transparente e aqueles seios quase á mostra estavam me deixando louco, ela se aproximou e começou a tocar meu sexo suavemente, tirou para fora da cueca e começou a dar umas leves lambidinhas, ao ver que eu não acordava ela foi sendo mais ousada e começou a mamar com vontade, e então não consegui mais fingir que dormia, abri os olhos e a encarei, ela se assustou e me disse que havia perdido a cabeça, pois havia casado virgem e sempre quis chupar um pau mas seu marido achava isso coisa de vagabunda e confessou que ficou me olhando toda a semana e começou a imaginar como seria me dar uma mamada, pediu que eu não contasse para ninguem que não faria mais aquilo, então eu disse que adoraria que ela sempre fizesse aquilo ela era ótima naquilo, ela imediatamente caiu de boca de novo e acabei gozando em sua boca, ela engoliu tudo e continuou chupando, até que eu ficasse excitado de novo, pedi que ficasse de quatro tirei sua calcinha e chupei aquele sexo gostoso e confessou que nunca tinha sido chupada, fizemos um delicioso 69, lambi seu rabão e pedi para enfiar ali, ela disse que tinha medo, que eu iria rasga-la, mas eu com muito cuidado passei um gelzinho e então inaugurei aquele buraquinho e ela acabou se transformando em minha amante, até hoje como aquela gostosa e é cada vez melhor

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Minha Vizinha fez a festa da Gurizada...

    Eu e alguns colegas iriamos ser reprovados em geografia, mas o professor que era super gente boa disse que se fizessemos um trabalho sobre ecologia teriamos uma boa chance de evitar a repetição de ano e assim fizemos. Pedi a meu mãe que pedisse emprestado para nossos vizinhos o sitio que eles tinham próximo de nossa cidade para que a turma pudesse fazer o tal trabalho, só que só doze foram autorizados a viajar, o detalhe é que a minha vizinha estaria lá ára abrir a casa e eu sabia que ela era muito gostosa e até fiquei meio constrangido quando soube que estaria por lá, mas fazer o que? la era a dona da propriedade, então fomos.
   O Motorista do ônibus nos deixou no portão e disse que voltaria para nos buscar no final da tarde, então entramos correndo como crianças pela casa que era bastante grande. Ao chegarmos próximo à piscina uma visão dos deuses, minha vizinha estava deitada de bruços com um biquinizinho enfiado naquele bundão gostoso, todos pararam para apreciar aquela bela visão, ela se levantou e veio cumprimentar um a um e quando me viu me deu um caloroso abraço e aproveitei tambem para abraçá-la bem forte, a parte de cima do biquini era tambem minuscula e só tapava os mamilos e eram uns peitões...
   Meus colegas comentavam como minha vizinha era gostosa, e ela muito simpática sorria para todos até resolveu entrar na piscina tambem e participar do "bobinho" que faziamos. Só que a cada pulo ela tinha que ajeitar o biquini que insistia em deixar seus seios de fora e ela surpreendentemente resolveu tirar a parte de cima deixando aqueles belos e grandes seios de fora, aí a gurizada enlouqueceu, ela então saiu da piscina e foi fazer um suco, mas notei que um dos colegas a seguiu e eu fui por trás da casa ver o que ele faria, ela se ajoelhou em sua frente e começou um boquete de mestre, não sabia que minha vizinha era putinha assim, meu colega saiu e em seguida veio outro e assim foi sucessivamente, até que chegou minha vez, entrei tranquei a porta e disse:-Teu marido sabe disso? e ela disse claro que não, pedi que me chupasse daquele jeito mas disse tambem que só um boquete não me deixaria satisfeito, tirei sua tanguinha e pedi que ficasse de quatro e comi a melhor bunda na minha vida(até então). Ao voltarmos pro ônibus todos estavam sorridentes e felizes, pois tinham gozado naquela boca safada, mas eu era o único que tinha comido a gostosa.
   Na semana seguinte ao passar por ela no prédio ela pediu que eu fosse conversar com ela no final de tarde e ao abrir a porta estava só  de calcinha, me contou que o marido tinha ido viajar e estava sozinha, que sacrificio, passei a comer aquela gostosa quase todos os dias

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Aulas de Piano-By Krent


    Durante certo tempo dei aulas de piano aqui em minha cidade e apareciam alunas de todos os cantos da cidade, eram mulheres mais velhas, mais novas, jovens, enfim eram mulheres de todas as idades.numa tarde de verão, minha aluna Teca, apareceu com um vestidinho curto, muito sensual e levemente transparente e é claro que não consegui deixar de olhar aquele belo corpo. A sala em que eu dava aula era na minha casa mesmo e era um quartinho bem pequeno, só havia espaço para o piano e uma cadeira tipo poltrona. Nesse dia estava tocando uma musica linda que gosto muito quando, ouvi um barulho e olhei para trás, era Teca, minha aluna querida.Olhei ela nos olhos e elogiei seu vestido dizendo que estava muito bonita daquele jeito, ela baixou os olhos e ficou envergonhada com meu elogio, partimos então para a aula, Teca tocava muito bem e em breve seria uma ótima pianista se insistisse nos estudos.Ela começou a tocar e eu ia ajudando colocando suas mãos nas teclas suavemente, em um desses toques notei que ela se arrepiou, nisso meu cotovelo tocou seu seio e ela gemeu baixinho e me olhou nos olhos.Virei de frente para ela olhei bem em seus olhos e coloquei as mãos em seus ombros e levemente baixei as alças de seu vestidinho e fiquei olhando aqueles belos seios grandes e redondos, passei então à acariciá-los e ví que ela havia fechado os olhos e mordia levemente os lábios, foi quando me inclinei e comecei a chupar um a um daqueles montes de prazer, levantei sua saia e ví que vestia uma calcinha quase que toda enterrada numa bunda que parecia desenhada de tão perfeita, foi quando ela se levantou, fechou a tampa do piano, sentou-se de frente pra mim e pediu que eu tirasse sua calcinha, tirei e caí de boca em seu sexo já bastante molhado, era uma delicia minha aluna, depois me levantei e fiz que ela sentasse na banqueta e coloquei meu sexo para ser sugado por aquela boca suave, quase gozei, levantei a moça e encostada no piano abri suas pernas e introduzi suavemente e assim fiquei como se estivesse no ritmo de uma música clássica lenta. Com aquele corpinho em minha inteira disposição pedi que ela ficasse de quatro na poltrona e ela empinou aquele rabão que comi com gosto, mesmo com seus gritos para que parasse, foi só no começo, em pouco tempo ela começou a gemer e me confessou que tinha sido a primeira vez que tinha feito sexo anal, gozamos muito e depois das aulas aproveitavamos o intervalo antes das próximas aulas e no final ela se tornou uma grande pianista e acabou ganhando um grande desconto nas aulas.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

A Mãe do Fred

    Esta história aconteceu há alguns anos e foi real. Foi uma das melhores aventuras da minha adolescência, aconteceu num verão. Éramos uma turma bastante unida e faziamos nossas bagunças sempre juntos e quando dava problema, um defendia o outro, viviamos como se fossemos irmãos. Tínhamos nossas musas e por muitas vezes eram as irmãs, primas, tias e principalmente algumas mães que éramos loucos, e a mãe do Fred era a numero um. Era uma mulher magra, alta, seios médios e uma bunda como pode ser vista na foto, que deixava qualquer um maluco e até o Fred concordava com isso.Além disso ela era educada, sensual e muito simpática com todos nós. Certo dia estávamos na casa de Fred, eu e mais dois amigos, daqueles que davam em cima de qualquer uma. Assistiamos filmes, jogávamos games, enfim nos sentiamos em casa na casa de qualquer um da turma.Percebi nesse dia que a mãe do fred estava no banho e inventei uma desculpa e sai do quarto, na verdade me dirigi para o quarto ao lado onde a mãe dele tomava banho, me escondi debaixo da cama de onde poderia vê-la nua. Ao sair do banho pude ver ela se trocando, colocando uma calcinha bem pequena, um shortinho por cima e uma camiseta por cima, ela saiu do quarto e foi até a cozinha, aproveitei para sair dali e fui até a cozinha, cumprimentei aquela delicia e com a desculpa de pegar uma fruta, passei por trás dela, segurei pela cintura e esfreguei meu pau durissimo nela, ela me olhou e me chamou de abusado, e respondi que ela era muito gostosa e não tinha resistido, ela sorriu, foi quando eu fiz o caminho de volta e dessa vez ela deu uma empinadinha na bunda, aproveitei e parei e me esfreguei mais um pouco, e olhei bem aquela bunda maravilhosa. Disse á ela que minha mãe tinha voltado de viagem e tinha várias coisas para mostrar, isso tudo ainda parado atrás dela e agora já alisando aquele bundão, ela disse então que iria em minha casa pela manhã para ver. Quando eu estava saindo ela ainda me xingou de abusado. Pela manhã, chegou em minha casa vestindo uma saia bem curta e avisei que minha mãe não estava, pedi que entrasse e à levei para o quarto de minha mãe para mostrar os produtos. Ao entrar no quarto não resisti e enchi a mão naquele rabo gostoso e ví que vestia uma calcinha enfiada no rego, ela ameaçou me dar um tapa mas eu a beijei rapidamente e continuei a apalpa-la agora sem rejeição. Tirei seu vestido e comecei a chupar seus belos seios, depois meti muito naquela bucetinha gostosa. saí do qaurto e ligei para meus amigos que logo chegaram e viram aquela delicia nua de bruços em minha cama e foram pra cima dela, um chupava aquele cuzinho, outro colocou o pau em sua boca e outro ficou por baixo chupando seus seios, em pouco tempo ela gemia alto e pedia mais, aproveitei para realizar minha comer aquela bundinha, meti tudo e ela só gritava. Pasei a comê-la todas as tardes e aprendi muito com ela

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Na Maca com o Doutor

   Me chamo Paty, tenho 21 anos, sou loira, tenho 1,70 mt e 55 kg
Sou do tipo branquinha magrinha de seios médios, cintura fina e bumbum redondinho.
Era uma sexta feira e eu tinha consulta na capital com um medico fisioterapeuta.
Minha mae me deixou na clinica e foi resolver suas coisas, como a consulta era com hora marcada fiquei esperando um pouco e logo fui chamada.
Entrei na sala era um doutor de aproximadamente uns 45 anos, bem forte e alto, conversamos um pouco falei das dores que sentia e ele pediu para eu me sentar na maca e tirar a blusa para ele me examinar.
Fui ate a maca me sentei e tirei minha blusinha ficando apenas com meu sutiã branco, o medico veio começou a me examinar e logo começou a passar a mao suavemente pelos meus ombros descendo ate nos braços e depois no meu pescoço e nas costas, aquele toque estava me dando um certo tesão que eu tentava esconder.
Logo o medico pediu para eu me deitar de barriga para cima, e começou a examinar minha barriga e sempre notava que ele passava a mao minha barriga suavemente e esse toque estava me deixando loquinha de tesão, o doutor pediu para abrir o botão da minha calça e abaixou ela um pouco para me examinar melhor, e pediu para eu me virar de bruços, ele começou a fazer massagem nas minhas costas e ia descendo ate perto do meu bumbum, eu estava doidinha já quando de repente sinto ele abaixando mais minha calça ate no joelho, e começou a massagear minhas costas descendo a mao ate na bunda e depois massageava minhas coxas, a mao dele cada vez ia chegando mais próximo da minha xaninha, e eu lentamente fui abrindo a perna para ajudar ele, eu estava com uma calcinha preta  que nessa altura já estava totalmente molhada, como eu estava deitada de bruços não consegui ver o que ele estava fazendo, so senti quando ele começou a se esfregar em minha mao e senti um enorme volume em suas calças, que por minha vez fui lentamente levantando minha mao mais perto para sentir aquele pau gostoso, ai ele pegou e começou a passar a mao em minha xaninha por cima da calcinha me deixando cada vez mais louca, eu não resisti e comecei a acariciar o pau dele por cima da calça e logo abri o zíper e pra minha surpresa era um pau enorme, muito grosso, e ele veio e começou a levar o seu pau perto da minha boca, e logo eu já estava chupando aquele pau gostoso e ele socando os dedos em minha xaninha, a gente não falava nada um com o outro, ele apenas pegou me virou de lado, e veio se ajeitando por traz e começou a meter aquele pauzão enorme em minha xaninha e so pediu para eu não gemer alto, estava uma delicia, ai peguei me levantei e me apoiei na maca impinando a bundinha para ele vir por traz e poder meter mais gostoso, ele fazia movimentos lentos e foi aumentando a força aos poucos pois não podia fazer barulho, ele me penetrava por traz e apertava firme meus seios puxando os biquinhos, isso me levava a loucura, e tive um orgasmo muito forte, e ele me vendo começar a gemer, tambou minha boca com sua mao e socava com muita força, quando ele foi gozar, ele tirou pra fora, eu cai de boca e chupei loucamente ate ele gozar em minha boquinha e eu engolir todo aquele leitinho do doutor gostosao.
 me vesti, sem a gente trocar uma so palavra.
ele pegou fez uma receita com alguns remédios e eu fui embora totalmente saciedade e parecia nem agreditar no que eu tinha acabado de fazer.
Quando cheguei em casa e tomei um banho para dormir toquei varias siririca lembrando da transa no consultório do medico.






quinta-feira, 10 de setembro de 2015

No Caminhão de Mudanças

   Certa fase de minha vida trabalhei numa empresa de mudanças e não foram poucas as aventuras que tive com mulheres de todos os tipos idades e vontades, eram geralmente mulheres que moravam sozinhas e na presença de um homem sem camisa , simplesmente "saiam da casinha" literalmente. e essa é uma das histórias que vivi:
   Era uma casa simples, mas ao chegar percebi que a proprietária não tirava os olhos de mim, cheguei a ficar um pouco intimidado, mas era meu trabalho e segui fazendo, mas aquilo começou a mexer comigo.Quando chegamos ela estava vestida de jeans e camiseta, mas quase no final , quando o caminhão já estava quase cheio ela surgiu de shortinho, aqueles de lycra que chegam a entrar na bunda e que bunda tinha a patroa.Além disso ela estava com a mesma camiseta só que agora amarrada acima do umbigo, uma verdadeira tentação, e por baixo, simplesmente nada, apenas aquele belo par de seios que já estavam me deixando louco, mas eu não poderia tomar a iniciativa pois era novo no emprego.Meus companheiros começaram a olhar para aquela bela mulher, mas parecia que ela só se importava comigo e em certo momento ela reclamou que não aceitaria que suas coisas fossem soltas dentro do caminhão, respondi que iria tudo bem amarrado, mas se ela quisesse eu iria junto para garantir que nada quebraria, foi quando ela me surpreendeu dizendo que queria ir junto para garantir, ajudei a moça à subir e fecharam a porta que tinha apenas uma pequena janela lateral, foi a porta fechar que aquela delicia me atacou, fiquei um pouco nervoso e até gaguejei, mas ela firme e decidida disse que teríamos cerca de uma hora para que eu a comesse deliciosamente. Fazer o que né? parti pra cima e fui tirando o short, virei-a para ver de perto aquele bundão dentro de uma calcinha pequena, mordi aquela bunda, lambi aquele cuzinho e aí sim tirei a calcinha, não completamente, só colocando de lado e chupei aquele sexo já molhado pela excitação, ela gozou em minha boca, parecia sedenta de sexo, levantei tirei minha roupa e coloquei meu sexo em sua boca gulosa, ela chupou como quem não quer perdeu uma só gota, lambeu e quase me fez gozar, mas eu queria o melhor daquele corpinho e a coloquei de quatro sobre as caixas e comi aquela bundinha deliciosa, mas o caminhão parou e tivemos que nos recompor. Nunca mais ví aquela delicia...

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Dona Lúcia, A Filha e a Neta

      Minhas temporadas de praia sempre foram ótimas, tanto que quando perdi aquilo tudo entrei numa depressão profunda, minhas maiores e mais loucas aventuras aconteceram no litoral e a que vou contar hoje foi das mais excitantes, mas aconteceu de forma casual através dos anos.
   Quando fiz dezesete anos começei a ir sozinho para a praia e sempre fui bem tratado pela vizinhança, até porque sempre tive uma educação diferenciada, acima dos demais. Pois bem, num verão ao chegar ao litoral fui recebido por minha vizinha de porta, dona Lúcia era muito amiga de minha mãe e me tratava como um filho e nesse ano ao perceber que eu ficaria sozinho me visitava todos os dias com algum presentinho  e acabamos por isso estreitando nossa amizade que antes não passava de cumprimentos pelo prédio. Numa manhã. dona Lúcia me acordou logo cedo e naquela idade ninguem gosta de acordar cedo e fui atender a porta apenas de cueca e como é normal excitadissimo. Dona Lúcia entrou e pude pela primeira vez me deter naquelas curvas, dona Lúcia era bem gostosa e estava de maiô com uma saida de banho por cima e me disse que iria para a praia, mas antes queria saber minha opinião, pois pela primeira vez usava aquele maiô cavadissimo, todo enterrado na bunda, e que bunda. Pedi licença, fui ao banheiro lavar o rosto e voltei para a sala, então dona Lúcia se levantou e perguntou se estava bem, olhei , analisei e disse: dona Lúcia, a senhora tá bem gostosa hein? nisso pedi que tirasse a saida de banho e aí sim pude perceber um tremendo rabão daquela senhora, comentei se aquilo tudo enterrado na bunda não incomodava, mas ela disse que não, foi quando pedi para tocar naquele corpo delicioso. Estiquei a mão, pronto para ser interrompido, mas dona Lúcia deixou , então enchi a mão naquele rabo e dona Lúcia apenas sorriu, elogiei seu corpo e dei um beijo naquela cinquentona gostosa.Passei a comer aquela senhora todos os dias enquanto estive na praia, inclusive aquele rabo gostoso e até então virgem.
   No ano seguinte ao chegar na praia dona Lúcia veio sorridente me cumprimentar, fechei a porta e fizemos um sexo quse selvagem, ao sair ela me convidou para jantar em sua casa, como eu estava sozinho fui. Ao chegar dei de cara com uma morena deliciosa de shortinho cavado enterrado na bunda que me olhou e disse:Tu deve ser o vizinho que minha mãe falou, entrei cumprimentei e começei a ter uma relaão com aquela mulher que tinha minha idade e tinha o fogo tipico das moças de dezoito anos, então comia mãe e filha e me sentia um deus grego.
  O mais curioso é que fiquei dois anos sem ir ao litoral mas ao voltar, minha amiga já era mãe, estava casada e a filha era uma linda loirinha que ao me ver e sem me conhecer veio correndo para meu colo, pura afinidade. O tempo passou, exatamente vinte anos ficaram para trás quando um dia resolvi voltar ao mesmo lugar de minha adolescência e lá estava dona Lúcia, uma velhinha simpática, sua filha ainda bela , mas casada e a loirinha, agora com vinte aninhos e gostosissima e como toda familia sempre muito atenciosa comigo. Um dia ao voltar para casa já bem tarde encontrei a bela loirinha bastante bêbada e a levei para minha casa, pois ela me disse que sua mãe não poderia vê-la assim, e então fui com ela para casa.
   Ao chegar ela me confessou que não estava tão bêbada assim  e começou a me beijar e cumpri minha missão, comendo aquela delicia o verão inteiro, ainda tive um retorno com a mãe dela e até dona Lúcia, mesmo com certa idade veio aqui em casa, meu sonho era ter as três ao mesmo tempo mas isso ainda não aconteceu.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Duas Ninfetas e Eu-By K-ren-T

       Trabalho em um escritório que nos fundos tem uma visão exclusiva do jardim dos vizinhos, um quintal cheio de árvores. Moravam ali duas ninfetas, uma ruiva e outra morena que costumavam brincar por ali, cantavam , dançavam enquanto estendiam suas roupas. Muitas vezes eu dava uma expiadinha pois as meninas eram muito bonitas, e a janelinha de meu banheiro tinha uma visão como eu disse antes exclusiva e privilegiada. Certo dia, caiu uma chuva daquelas que é impossivel fugir, dá vontade de se molhar mesmo, a tipica chuva de verão e eu nesse exato momento tinha ido dar uma mijada e acabei tendo uma visão inesquecivel. A moreninha tirou toda a roupa e foi pra chuva, fez um sinal e de repente a ruivinha tambem estava ali toda nua brincando na chuva como crianças. Imaginem só, eu ali mijando, já com o pau na mão, foi inevitavel que ficasse durissimo com aquela cena.
   Elas começaram a se abraçar e a se beijar de um jeito até inocente mas muito excitante, esfregavam as coxas uma na outra e derepente correram para trás de uma árvore que para minha alegria era bem próxima de onde eu estava, a moreninha que sempre tomava a iniciativa começou a brincar com seu seio, que era médio pra grande, e colocava o bico na bucetinha da ruivinha que gemia baixinho só para que eu ouvisse(minha imaginação começava a funcionar).Não contente com aquilo a morena subiu e começou a beijar os peitos fartos da ruiva, numa cena sensualissima. Elas então começaram a se beijar com muita vontade e a ruiva começou a brincar com a bucetinha da morena, depois começaram a enfiar o dedo uma na bundinha da outra, depois começaram a se esfregar até chegarem juntas ao climax.Ainda com um sorriso no rosto se levantaram e entraram na casa.
   No final de semana estava no escritório quando ví as duas de biquini pegando um bronzeado, como eu fazia todos os meses liguei para a tia delas dizendo que poderiam buscar jornais e papéis que eu tinha guardado. Ao abrir a porta lá estavam minhas musas, com um shortinho e com a parte de cima dos biquinis, a ruiva era um espetáculo com seus seios quase pulando para fora e ao se abaixar para pegar os papéis olhei sem nenhuma vergonha para aquelas delicias.A morena me olhou e fez uma cara de reprovação, mas eu disse que elas eram lindissimas e eu gostaria de ver aqueles seios, a morena então me chamou de tudo quanto é nome, a ruiva pareceu gostar da idéia, foi então que puxei as duas e mostrei a visão que eu tinha do jardim e menti que tinha gravado tudo.Daí então ganhei duas amigas que comia todos os finais de semana, até que tive que me mudar.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Duas Professoras com Sede...

Loira 1

Loira 2
        Estava num curso onde tinha duas professoras que eram um verdadeiro espetáculo, vamos chamar de loira 1 e loira 2 para não ferir ninguem.Pois bem, estava me dando bem com as coleguinhas e meu desafio era começar a me dar bem tambem com as professoras e assim decidi.
  A Loira 1 era o tipo de mulher, já madura que parecia ter sofrido alguns traumas amorosos e evitava aproximações, mas tinha um corpo delicioso, coxas grossas,seios grandes, uma bunda arrebitada, mas um rosto bastante antipático.
  Começamos a manter um relacionamento e certo dia fomos ao seu apartamento e para minha surpresa ao entrar me deparei com a loira 2 que até então nem sonhava que morava ali, e o melhor me recebeu apenas de lingerie e era mais deliciosa que a primeira, seios médios, bunda grande e deliciosa, coxas bem torneadas, uma cara de sem vergonha, o único defeito era sua voz um tanto desafinada, daquelas que chegam a doer e cansar nossos ouvidos, fora isso era tudo de bom.
   Como eu disse ao entrar no apartamento me deparei com a loira 2 agachada ao lado do sofá, ela parecia estar procurando algo, mas a cena era fascinante, ela ali de quatro com uma lingerie enfiadinha naquela bunda gostosa e nem notou que eu estava atrás dela na pequena sala. Ao me ver, se levantou me deu três beijinhos e foi até a cozinha, minha amiga loira 1 vendo minha reação me disse que aquele visual era normal, ela andava sempre assim em casa e na maioria das vezes andava nua. Foi quando disse que eu não me incomodaria se ela resolvesse andar nua por ali pois achava ela muito gostosa. A loira 1 deu uma saida para o banho e a loira 2 me apareceu só de calcinha na minha frente, dei um sorriso e a elogiei ainda mais, ela deu uma voltinha e aproveitei para dar um tapinha naquele bundão, já sem me conter.
   Ela me olhou com um olhar sapeca e disse que era injusto eu pegar em sua bunda e ela não poder pegar em meu sexo, foi quando disse que se ela queria era só pegar, ela veio e começou a massagear meu sexo sobre a calça, quando disse, agora que pegou melhor chupar tambem, ela se ajoelhou e me deu uma mamada sensacional, ouvimos a porta do banheiro se abrir e a loira 1 voltou para a sala somente de toalha, me disse que tinha dado um mal jeito no pescoço e pediu uma massagem, começei a tocar seu pescoço e a toalha caiu revelando aqueles seios grandes e firmes para uma cinquentona, não resisti e apalpei aqueles verdadeiros melões, depois chupei alternadamente cada um deles, foi quando a loira 2 voltou completamente nua e disse que queria aqueles carinhos tambem, confesso que pensei que não fosse dar conta, mas passamos a noite inteira naquele rala e rola e passei a frequentar aquele apartamento todos os dias... 

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Tesão com a Priminha-K-ren-t




     Minha prima era uma princesa, loira, olhos verdes e um corpo moldado pelos deuses. Estávamos sozinhos na casa de praia em um domingo, beliscando uns petiscos e falando besteiras, bem à vontade, poios a casa era nossa até a segunda de noite quando o pessoal começaria a chegar. Resolvemos assistir um filme, mas devido ao cansaço pelo sol da manhã, eu estava quase cochilando, minha prima tambem e chegou a encostar a cabeça no meu peito e acabamos dormindo. Só para lembrar ela estava com seu biquini preto que mal cobre aquelas delicias de seu corpo, as pernas grossas, os seios médios e durinhos, um tesão de menina que eu era tarado.Quando abri os olhos ela dormia com a cabeça já na minha barriga, fiquei admirando aquele corpinho queimado de sol, aquela carinha de anjo e aquele corpinho estourando dentro do biquini, acabei ficando muito excitado e resolvi soltar seu biquini. seus seios pularam para fora, aí fiquei louco de vez. Vendo aquele corpinho gostoso e aquele rostinho lindo bem pertinho de meu sexo e aqueles seios rosados de fora...começei a tocar os bicos daqueles seios, ela então acordou e segurando os seios olhou pra mim, fingi que dormia e ela voltou a deitar sobre minha barriga, mas amarrou o biquini antes disso.
   Notei que ela olhava meu sexo, porque como eu estava muito excitado ele quase pulava para fora da sunga.Ela muito curiosa soltou o cordão da sunga e ficou olhando meu sexo, cheguei a sentir sua respiração na cabeça inchada, foi quando ela esticou a lingua e começou a dar leves lamidas em minha glande, não resisti e soltei de novo o biquini, ela então baixou minha sunga de vez e caiu de boca no meu sexo, chupava como profissional e eu apertava seus belos seios.Ela então parou, me olhou e me disse: que delicia de pau tu tem e voltou a me chupar, tirei sua tanguinha e cai de boca naquela bucetinha, e caimos no chão para um delicioso 69, ela chupava e dizia que eu era muito gostoso e eu me deliciava naquela grutinha quente e molhada. Essa foi a primeira de muitas transas, aprendemos muito um com o outro e aquela bunda maravilhosa pude um dia dizer que era só minha....

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Massagem Especial

    Um dia desses estava na escada conversando com minha vizinha quando ela confessou que estava com uma dor terrivel nas costas então me ofereci para fazer uma massagem, ela deu um pulinho de tanta alegria e disse que me esperaria em seu apartamento. Fui até o meu apartamento peguei a maca e a vaselina e subi. Ao entrar percebi que ela tinha até preparado o ambiente, pois tinha fechado as cortinas , colocado um som ambiente e uma aromatizador. Ela então me disse que iria se trocar e quando voltou estava com um conjunto de lingerie que parecia feito sob medida para seu corpinho gostoso. A parte de cima era tipo taça e realçava seus grandes seios e a parte de baixo evidenciava sua bela bunda além de mostrar pela transparência seu sexo bem desenhado.
  Abri a maca, coloquei o lençol, pedí que tirasse a parte de cima e ajudei-a a se deitar de barriga para baixo, o que me deixava uma bela visão de sua bunda que eu admirava desde o primeiro dia que à ví aqui no prédio, era pura tentação...
  Comecei massageando suas mãos demoradamente, subi para os braços, ombros e suas costas onde ela reclamava ter dor.Massageei sua coluna e cheguei em sua cinturinha, então perguntei se ela se importava de tirar a calcinha e ela disse ter vergonha, tudo bem, entendi e passei a massagear seus pés, pernas e as coxas, que coxas, dediquei um bom tempo ali até que subi para aquela bela bunda, onde massageei com muito carinho, chegando a ouvir uns gemidinhos, aproveitei e levemente introduzi o dedo em seu cuzinho só para ver a reação e ela não me interrompeu, então segui, agora com a calcinha afastada e massageando sua linda bucetinha, foi quando pedi que se virasse e passei a massagear seus seios, um a um, lindos, fartos, gostosos, apertei sua barriguinha e fui baixando em direção ao seu sexo, já molhado, aí sem perguntar nada tirei sua calcinha e passei a massagear ali tambem, então ela começou a gemer mais alto e ao mesmo tempo que massageava seu seio, estava com os dedos em seu sexo, seu rosto já estava ruborizado de tanto prazer, foi quando coloquei meu pau em sua boca e ela gulosamente chupou com maestria até que eu gozasse. Continuei a massagem dessa vez me concentrando em suas costas e fiquei ali até meu pau dar sinal de vida, foi quando introduzi em seu cuzinho apertado bem devagar, ela rebolava num ritmo muito sensual, era gostosa em tudo que fazia, estava me deixando louco, acabei gozando de novo desssa vez em seu rosto.A dor nas costas passou, mas a paixão se acendeu de vez.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

A Aposta

      Começei a trabalhar em um belo prédio aqui em minha cidade e em pouco tempo já conhecia bem os hábitos de todos os moradores, mas uma em especial chamava minha atenção, era Bruna do décimo andar, ela estudava direito era noiva e em breve iria se formar e se mudar. Bruna era uma morena com os cabelos loiros, tinha os pelinhos das pernas e dos braços bem loirinhos, era alta, tinha 1,68, tinha uma bunda sensacional que eu não deixava de conferir cada vez que passava por mim, seus seios era de médios para grandes, se vestia bem, era pura tentação e ainda por cima malhava muito para manter aquele corpaço. Notei que ela não ia muito com minha cara mas com o tempo percebi que isso era normal porque os moradores eram muito arrogantes e ignoravam os empregados do prédio.Sabia que seu noivo adorava futebol e começei a provocar para ver se ele ficava nervoso, gostava de brincar com ele principalmente quando estava com Bruna na piscina e aproveitava para admirar aquele corpão. Meu time começou a perder e o noivo começou a debochar de mim e chegou a propor uma aposta, quis apostar seu carro contra o meu, mas por incrivel que pareça o meu era melhor e não valeria a pena, mas ele insistiu, sugeri então que apostasse a noiva Bruna, mas duvidando que aceitasse, embora fosse tudo que eu queria naquele momento, e a proposta dele foi a seguinte, que eu aceitasse ser seu empregado por um ano, trabalhando de graça para ele e Bruna, ele achou que eu não aceitaria mas eu confiava no meu time e aceitei. No domingo o Classico começou e o time do noivo saiu na frente e foi empilhando gols foi então que resolvi subir ao décimo andar, toquei a campainha e fui me ajeitando no sofá. Bruna se afastou mas eu a puxei para junto de mim, meu time marcou mais um e nisso começei a baixar a camiseta de Bruna, o adversário fez dois gols mas o jogo logo terminou e disse para Bruna: -Agora tu é minha, efui tirando a roupa daquela gostosa, mandei que ela se ajoelhasse e pedi que me chupasse, e ela fez com vontade, parecia estar com muito tesão, coloquei-a em cima da mesa da sala e disse: -agora vou comer essa putinha bem gostoso, e fui metendo devagar naquela bucetinha gostosa, Bruna só gemia, foi quando a campainha tocou e era o faxineiro do prédio que eu havia chamado para me ver comendo aquela gostosa e ainda disse que como eu tinha ganho a aposta eles tambem poderiam comer aquela puta quando quisessem, o faxineiro ficou numa felicidade incrivel quando eu coloquei Bruna de quatro e disse para ele alargar aquele cuzinho que eu iria comer depois, deixei o faxineiro metr e pedi que fosse embora, então foi minha vez de comer aquele cuzinho apertado, agora nem tanto, já que meu amigo havia alargado um pouco. Meti com vontade e ví lágrimas rolando, passei a noite comendo ela ao lado daquele corno, ela era gostosissima e era bem putinha, estava adorando. nem preciso dizer que passei a comer a gostosa Bruninha todos os dias e até nos vestiários do prédio comi a putinha e ainda pedi que apresentasse suas amigas, irmãs primas e tias que eu sabia eram muito gostosas e viviam na piscina. Ontem comi a mãe dela uma coroa sensacional mas essa outra hora eu conto.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Vida de Caseiro


   Em uma fase de minha vida as coisas apertaram e tive que fazer qualquer coisa para me sustentar, e pegava o que aparecia, um dia ao ver um anúncio acabei começando uma nova profissão, virei caseiro.
   O casal dono da casa que eu cuidava era um médico bem conceituado no exterior por isso viajava muito, e sua esposa, uma bela mulher bem gostosa e fogosa, que acabei descobrindo depois, tinha 32 anos. Em uma dessas viagens em que ficaria algumas semanas fora do País, dona Diana, minha patroa resolveu passar uns dias na casa de campo, acabamos nos tornando bons amigos além de patroa e empregado, andávamos de cavalo pelo campo quando eu tentando impressionar levei um tombo sensacional, dona Diana veio correndo em minha direção muito preocupada, só que com o tombo, minha calça se rasgou e parte de meu membro ficou exposta e percebi seu olhar justamente para ali, meu sexo estava duro e ela não conseguia disfarçar, anoiteceu e fomos dormir. Logo pela manhã dona Diana me pediu que levasse uma pomada para aliviar suas dores pois estava assim desde o dia anterior, eu entrei com a pomada na mão e um pote de vaselina na outra porque iria fazer uma massagem para aliviar suas dores que eram supostamente musculares, pedi que deitasse com a barriga para baixo e tive uma visão sensacional, a mulher de perto era gostosissima, ainda mais com uma calcinha preta enfiada naquela bunda gostosa. Comecei massageando seus pés e fui subindo lentamente, cheguei naquela bunda maravilhosa e confesso que me aproveitei da situação e cheguei a temer por meu emprego, mas Dona Diana me surpreendeu e me pediu um beijo que dei com muito tesão, baixei e comecei a chupar aqueles seios duros e firmes alternadamente, nisso puxei-a para meu colo e a fiz sentar lentamente em meu sexo, ela chorava de dor e prazer, mas isso não impediu que ela começasse a rebolar gostosamente, deitei por cima dela tirei meu sexo e gozei em seus seios. Deitamos e acabamos dormindo, quando acordei e ví aquela deusa ali, nua ao meu lado fui para cima de novo dessa vez fizemos um 69 e gozamos um na boca do outro, era uma delicia e como sempre acordo com muito tesão não foi dificil ficar pronto para mais uma, pedi que ficasse de quatro e acabei desvirginando um cuzinho maravilhoso, ela confessou que o marido não era muito chegado ao sexo e assim ficamos durante o mês inteiro, comi a patroa até não poder mais e mesmo depois que deixei aquele emprego encontrei com ela algumas vezes sempre com muito tesão, pena foi nunca ter condições de bancar aquela deusa.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Consulta Fora de Hora

       Sempre tive esse corpinho, digamos "cheinho" e algumas aventuras aconteceram comigo justamente por causa disso e essa história até hoje me lembro e fico excitada.
   Casei cedo e nunca olhei para outros homens mas nesse dia tudo começou a mudar na minha vida.Já havia se encerrado o horário de expediente e eu tinha ido a um bairro nobre de minha cidade para ver um apartamento que estava para ser alugado, o prédio era daqueles mistos que tem uma parte residencial e uma parte comercial. Já no hall de entrada percebi um homem atrás de mim e notei que seu olhar havia se fixado em mim de uma maneira arrepiante, me excitei, meu coração disparou e entramos no elevador. Pelo reflexo pude perceber que ele não tirava os olhos de mim, ele estava vestido todo de branco, tinha uma barba grisalha, era meio gordinho mas nada que afugentasse, pelo contrário era o tipo que eu gostava, eu vestia vermelho, como quase sempre, é minha cor preferida com um decote que dava para ver os contornos de meus seios, ele apertou o botão antes de mim e acabei ficando sem reação, ao chegar em seu andar acabei descendo e depois que havia andado pelo corredor é que percebi que não estava no meu andar desejado, mas notei que aquele homem me seguia, eu com saltos altos não conseguia disfarçar o rebolado, parei em frente a uma porta e ele veio rapidamente e me convidou a entrar, era seu consultório, era massoterapeuta, entramos e ele fechou e trancou a porta. Já em sua sala ele começou a tirar sua roupa e ficou nú em minha frente, seu sexo era bem grosso, ele ordenou que eu tirasse a roupa e assim fiz excitadissima com a situação, eu fiquei apenas de calcinha e ele começou a me beijar ao mesmo tempo que me empurrava para uma cama, que só depois entendi porque estava ali, deitei e ele prontamente colocou seu pau em minha boca, chupei como se fosse um pirulito, então foi a vez dele me chupar e que lingua, ele se ajeitou e começou a me penetrar, eu só gemia, estava adorando aquilo tudo, ele então inverteu a posição me deixando por cima e aí rebolei como uma puta e o cara pirou de vez, já enfiando os dedos no meu cuzinho até então virgem, depois pegou um vidrinho com vaselina e me melou toda, me pediu para ficar de quatro e me enrabou como nunca havia acontecido antes, gozei como nunca, ele preferiu gozar em meus seios e aproveitei para fazer uma rápida espanhola, até porque meus seios são grandes quase que ideais para isso. Nos levantamos e fomos nos limpar então ele me deu seu cartão e disse que eu tinha hora marcada para o dia seguinte, então tive que ir, passei o mês inteiro indo ali...

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Carnaval com Uma Tia e sua Sobrinha

       Nunca gostei muito de nossa maior festa popular, mas essa aventura aconteceu num carnaval que passei no litoral e foi talvez meus melhores dias de folia.
   Estava de bobeira no meio do salão, onde muitas mulheres gostosas dançavam com suas fantasias ousadas, outras tinha como fantasias um pequeno biquini e fui ficando louco com aquilo tudo, até que recebi um torpedo que dizia:-Posso sentar ao teu lado?, respondi dizendo que sim mas do jeito que eu tava eu pegaria qualquer baranga, mas foi aí que conheci Laurinha. Por incrivel que pareça ela surgiu na minha frente com uma fantasia de enfermeira e era deliciosa. Começamos a conversar e as vezes ela levantava e ia para o meio do salão e eu ia atrás só admirando aquela bundinha deliciosa, ela se abaixava e olhava para mim com cara de safada.Dei uns amassos mas Laurinha quis ir no banheiro, mas logo voltou dizendo que era impossivel usar aquele lugar, era muito sujo e sugeriu que fossemos na casa de sua tia que morava perto, então lá fomos nós.Ela foi ao banheiro e voltou completamente nua então parti pra cima daquela delicia, beijei , chupei, enfiei os dedos naqueles buracos todos, apertei seus seios deliciosos, parti para sua bucetinha, que delicia ela delirava com minha lingua, ficou molhadissima, fizemos um 69 e então descobri que ela chupava muito, acabei gozando naquela boquinha carnuda. Tomamos um banho porque queriamos voltar para o salão, afinal de contas a tia de Laurinha estava para chegar, não insisti, mas Laurinha pediu que eu ensaboasse sua bundinha arrebitada e além de ensaboar começei a meter os dedos naquele cuzinho então ela me disse que queria dar a bundinha pela primeira vez, achei engraçado pois ela tinha jeito de quem já tinha dado muito, mas ao começar a meter percebi que era verdade e ela estava adorando, meti até cansar e gozei de novo dessa vez nos seus belos seios. Nos arrumamos e voltamos ao salão e aí conhecí a tia, era bem gostosa a coroa. Depois de um bom papo ela me disse que queria que eu fosse em sua casa, fiz o sacrificio, a morena quis me dar aquele rabão e eu tive que fazer o sacrificio, passei o verão comendo aquelas gostosas, mas infelizmente as aulas iriam começar e tive que voltar. No primeiro dia de aula a surpresa, a tia era uma de minhas professoras, que bom que meu carnaval iria continuar....

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Duas Vizinhas...

      Isso aconteceu no final da minha adolescência, mas lembro muito bem pelo inusitado da situação. Sempre me dei muito bem com as mulheres mesmo sendo bastante timido e talvez isso mesmo tenha me favoreciso, a timidez, teve seu lado bom.Vivia enlouquecendo com belas mulheres na rua até que um dia se mudaram para o lado de meu edificio duas meninas maravilhosas, uma loira e uma morena. Ao Vê-las pela primeira vez quase enlouqueci, pois meu quarto dava direto para a sala onde elas ficavam e um pedaço da pequena piscina, pois elas estavam vestido maiôs que realçavam suas curvas e brincavam entre sí, uma beijando a outra, a morena segurava os seios da loira que quase não cabiam em suas mão pelo tamanho,então ela chupava um e outro alternadamente, a loira extremamente excitada apenas jogava os cabelos para trás e gemia alto. Depois foi a vez da morena, a loira partiu para seus pequenos seios em forma de pera e chupou com a mesma intensidade. Depois deitaram-se na cama e começaram a chupar uma o sexo da outra,  então minhas vizinhas pegaram um penis de borracha com uma cabeça em cada extremidade e passaram a gemer, dessa vez juntas.Elas gozaram e acabaram dormindo abraçadas e eu acabei jorrando na parede do quarto. Dias depois isso se repetiu e foi se repetindo dia a dia, teve vezes em que levaram algum amigo para as transas e eu ali assistindo tudo de perto.
  Na realidade nunca tentei nada com elas porque além da timidez elas talvez nem me dessem bola pela minha idade, e confesso que tinha medo de ser pego em flagrante ao espioná-las.
  Tudo seguia naturalmente até que um dia que escutei-as falando que seria melhor a mudança pois a outra casa era melhor, seria o fim da minha diversão e nesse dia acabei pulando o pequeno muro para ver minhas musas mais de perto, a morena se deitou na cama e começou a se masturbar e eu começei a me excitar, mas de repente alguem me segurou, e levei um puta susto, era a loira que me pegou de surpresa e ordenou que eu entrasse na casa, chamou a morena e pediu que eu tirasse a roupa, começaram então a se beijar e a se chupar em minha frente e de perto era muito melhor, elas ficaram ali nuas em minha frente, dançando e me provocando, sentavam próximas a meu cacete quase sentando nele e se revezavam nisso, era praticamente uma tortura, elas beijavam meu cacete de uma forma que acabei gozando, a morena então colocou ele na boca e limpou tudo, então a chupação entre elas continuou e meu cacete começou a reagir(nada como ser adolescente), então a loira veio e sentou no meu cacete bem devagar e começou a rebolar, era uma delicia, a morena me ofereceu os seios para eu chupar, o cuzinho da loira era apertado e ela confessou que não costumava dar seu buraquinho, então foi a vez da morena que disse que queria sentir meu pau no cuzinho tambem, comi aquela rabão e gozei muito, quando ví o relógio já era noite e tive que voltar para casa. No final das contas elas não se mudaram e eu passei os melhores dias da minha vida com aquelas deusas. Que saudades daquela época.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Prazer com os Anfitriões

       Esse fato aconteceu comigo há alguns anos atrás mas resolvi contar. Fomos passar as férias em salvador em 97 e por coincidencia encontramos um velho amigo de infância, que acabou nos convidando para ficarmos em sua casa. Encerramos nossa conta no hotel e para lá fomos. A casa era enorme e frequentada por muitos parentes do casal amigo, além da dona da casa, tinha duas primas e uma coroa bem gostosa.Vale lembrar que a dona da casa e as primas tambem eram bem gostosas.Elas saiam de toalha dos banheiros e eram bastante liberais mas eu não sabia até que ponto.Numa manhã em que todos dormiam fui à cozinha e lá estava a dona da casa com uma camisolinha bem curta e uma calcinha enfiada naquele verdadeiro rabão, fiquei olhando sem conseguir disfarçar, e ao me aproximar da pia para pegar um copo ela empinou a bunda tocando meu pau já durissimo, acabei me desculpando e subi com o copo d'agua para o quarto, minha namorada que tambem era bem liberal me incentivou a ir em frente com a dona da casa para ver o que acontecia e fui.Minha Namorada me confidenciou queouviu certo dia uma das primas chegar no quarto e ao vê-la nossa anfitriã disse:que saudade desse bucetão, deixa eu chupar. Ficamos animadissimos com a possibilidade de transarmos com aquela gente toda.Numa tarde minha namorada contou que estavam todas em casa com meu amigo e o papo rolou para o sexo e elas confessaram que transavam todas com ele e entre elas, nessa tarde acabaram se tocando entre todas, sem que o dono da casa participasse.Me confessou que uma das primas tinha realmente um bucetão gostosisssima para ser chupada e que ela tinha chupado até ela gozar.Elas então começaram a falar de mim e minha namorada disse que a prima mais nova era meu tipo, pois além de um bucetão tinha uma bunda arrebitada como eu gostava e parece que os olhos das meninas brilharam. elas foram embora e de noite minha namorada me contou tudo.Minha mulher teve que sair cedo no dia seguinte e ao chegar na cozinha a dona da casa estava me esperando, não perdi tempo e puxei aquela delicia, começei a beijá-la , sentei-a em meu colo e começei a chupar aqueles peitões e a acariciar aquela bucetinha, ela colocou meu pau pra fora e começou a punhetar, foi quando minha mulher chegou e a anfitriã perguntou se poderia usar aquela pica, ela respondeu que sim e então a dona da casa caiu de boca numa chupada sensacional.Acabei comendo todas aquelas Baianas gostosas e principalmente a coroa que era um tesão.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Noiva de Um "Ex"-Amigo meu





      Trabalho em um escritório bastante conhecido em Porto Alegre, prefiro não dizer qual, mas onde tem acontecido coisas interessantes, Vou contar uma que aconteceu com Isabel, a secretária de um colega, que é noiva e muito timida.
   Como o noivo viaja muito, sempre que posso saio com ela para ajudá-la a escolher móveis, eletrodomésticos e toda essa parafernália para se montar uma casa.Isso já vinha acontecendo há algum tempo.
   Só posso dizer que essas saídas foram nos tornando mais intimos, principalmente porque, sendo mais velho e casado, tinha muito mais experiência que aquela guria de corpo escultural.
   É preciso dizer que, além de viajar muito, o noivo ainda morava em outro estado e eles só se encontravam uma vez por mês, o que a deixava louca de carência. Foi ela mesma que me disse. Mesmo quando o noivo a visitava, eram poucas as oportunidades para uns amassos, já que a familia estava sempre junto.
   Essa conversa me deixava de pau duro e no começo eu até tentava disfarçar mas ultimamente até ajeitava o pau por cima da calça e ela já percebia.
   Um dia voltando de uma festa da empresa, coloquei a mão em sua coxa, que estava exposta devido a saia muito curta, ela nem ligou e então pensei:É hoje. sem que ela percebesse, tirei meu pau pra fora e estava durissimo, e disfarçadamente puxei sua mão em minha direção, ela parou de conversar, ficou quieta por alguns instantes e falou:-isso não está certo. O Curioso é que ela continuava a segurá-lo, gentilmente puxei sua cabeça para meu colo, ela suavemente colocou a boca no meu pau e começou a sugar, ela chupava que nem criança quando chupa um sorvete ou um pirulito, acabei gozando naquela boquinha deliciosa, passei a alisar suas costas  e cheguei à sua calcinha, e percebi que estava molhada, passei então a bolinar seu sexo e ela gozou. Ela reclamou que eu gozava muito rápido e falei que era muito tesão reprimido por ela.
   Os dias passaram e um dia ela veio conversar comigo e a convidei para meu apartamento, ao chegar não resiti e a abraçei por trás, e ela sorrindo disse para mim não gozar tão rápido dessa vez, mas pediu que não lhe tirasse a virgindade que isso seria para o futuro marido, estranhei que fosse virgem mas pedi então que me chupasse bem gostoso para compensar. Brinquei um bom tempo com sua bucetinha respeitando seu pedido mas ela percebeu minha intenção e disse: vou te chupar um pouquinho e depois voçê pode comer minha bundinha, ficou de quatro com aquele bundão pra cima e falou que não era para enfiar tudo, obedeci, colocando só a cabecinha, mas ela acabou gostando tanto que disse para enfiar tudo, não podia negar aquele pedido e meti com vontade, gozei muito. Em resumo, ela casou mas continua transando comigo e agora como ela de tudo que é jeito...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Que Trio



    Ano passado resolvi dar um tempo na correria do dia a dia, deixei para trás o sul e fui morar por um tempo no nordeste, aluguei um Chalé e ali revi toda minha vida. Nos primeiros dias percebi minha nova vizinha, tinha a pele bem branca para quem morava na beira da praia, mas tinha um corpo belissimo, seios grandes um bundão que de quatro devia ser uma beleza, e minha rotina passou a ser observar aquela mulher.Na primeira semana conheci uma garçonete que era a tipica nordestina, pele morena, bunda maravilhosa, seios pequenos mas lindos e foi inevitável que eu me encantasse com ela até esquecendo um pouco a nova vizinha.Convidei-a para ir ao meu chalé e ela prontamente veio, e como estava na beira da praia veio de biquini mesmo e nem ao menos se enrolou em uma canga, ou colocou um short, estava bem a vontade, e me deixou muito excitado.Elogiei aquele corpo comecei a brincar com a parte de cima do biquini e acabei soltando seus seios e juro que foi sem querer, mas saltaram aqueles peitinhos prontos para serem chupados, o que fiz sem pedir permissão, começamos um amasso quentissimo e tirei sua calcinha e surgiu uma bucetinha linda que prontamente cai de boca, ela só delirava, comi a morena de tudo que é jeito e terminei arrombando aquele cuzinho lindo. Ficamos conversando deitados e ao me levantar vi pela janela a vizinha na varanda apenas de biquini, aliás isso é normal por lá, afinal de contas a praia fica a alguns metros dos Chalés, mas eu não estava acostumado com aquele festival de corpos gostosos e meio que sai do ar observando a moça. Minha amiga que ainda estava deitada perguntou o que eu estava olhando, e eu apontei para a bela vizinha que estava ali até bem próxima de nós. Ela levantou e disse: Paty, já acordada? no que a vizinha se virou e com um lindo sorriso veio em nossa direção, a morena nos apresentou e só aí me dei conta que estava completamente nú, a vizinha com um sorriso lindo entrou no Chalé, me olhou nos olhos e perguntou: Posso chupar esse pauzão?olhei meio assustado para a morena que sorrindo me disse que eram amigas de infância e adoravam sexo desde muito cedo, então segurei o pau, ela se ajoelhou e começou a me chupar, mas a morena não resistiu e veio junto. Nossa, duas bocas, dois corpaços, ajoelhadas em minha frente, pensei que não fosse segurar, tirei o biquini da vizinha e cai de boca, a morena ainda disse que ela iria adorar minha lingua e ali fiquei brincando, mas eu queria aquele rabo que me encantou desde a chegada, pedi que ficasse de quatro e realmente era tudo que sonhei durante toda aquela semana, me posicionei e meti naquela rabo, que gostosa, como rebolava, como fodia, depois me deitei e pedi que ela sentasse em mim enquanto a morena colocasse a bucetinha no meu rosto, chupei com vontade, e dessa vez ela me lambuzou, muito xcitada com a amiga ali junto.ficamos ali toda a manhã, depois fomos a praia e voltamos a tarde e trepamos o resto do dia, estava no paraiso, eu e duas belas mulheres, e o descanço?foi pro espaço, voltei cansadissimo para casa e tive que tirar uma semana de férias....