Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

sábado, 31 de maio de 2014

Meu marido comeu minha Irmãzinha-By Sapinha

Eu sou a Luiza, tenho vinte e cinco anos, loira de olhos azuis, 1.72 de altura, 93 de quadril, 57 de cintura e 83 de busto, tenho a bundinha arrebitada e uma cabeleira loira, de pentelhos sedosos que ornamenta minha bocetinha de lábios rosados, com um grelinho saliente que se sobre sai no meio dos lábios vaginais, o tarado do meu marido adora acariciar e chupar o meu grelinho, me levando a orgasmos alucinantes.
    No ano passado, eu fraguei o safado, dando em cima da nossa empregada, despedi ela no mesmo dia, mas eu acho que o tarado do meu marido já tinha comido aquela safada, nunca mais vou contratar meninas novas e gostosinhas para trabalhar na minha casa, eu estava á procura de uma senhora de mais idade, para por respeito nesse safado do meu marido, mas enquanto não aparecia uma, eu fui obrigada á pedir socorro para a minha irmãzinha Bete, ela veio morar uns dias aqui em casa, embora dizendo que, só fazia isso por mim e pela sua priminha.
    Não sei por que “mas” ela não gostava do meu marido, observando melhor a minha irmãzinha no dia a dia, pensei comigo mesma, isso não vai da certo, tenho que arrumar uma empregado logo, logo, cheguei a essa conclusão , observando a Bete com aqueles shortinhos jeans, colado ao corpo, que marcava o volume de sua bucetinha, ainda mais usando aquelas sainhas curtas, que deixava aquelas belas coxas com penugem dourada a mostra, ela usava umas blusinhas colada no corpo e estava sempre sem sutiã, ressaltando a silhueta dos seus seios, firmes e inchados, parecia que eles estavam sempre excitados com aqueles bicos duros e pontudos, observando os olhares disfarçados do meu marido pra suas coxas e seus peitinhos.
    Acredite que por ela ser a minha irmãzinha mais nova e por ter somente dezessete anos, ele jamais tentaria alguma coisa com ela, me enganei redondamente, fui traída pela minha ingenuidade, que ficou comprovada numa noite de sábado, quando voltamos de um barzinho, depois de uma semana de trabalho, convidei o meu marido para sairmos e tomar um vinho, ouvir musica ao vivo num barzinho, nos divertimos, conversamos, estávamos excitados, quando chegamos em casa estávamos loucos pra transar, nos beijamos nos acariciamos, só ai eu vi a minha irmãzinha sentada no sofá assistindo TV, como o meu marido já estava de pau duro estufando a calça e eu com a bucetinha molhada, só perguntei pra Bete, cadê a Simone? ela ela disse sua filha esta dormindo.
    Nos fomos direto pro quarto, nos agarramos nos beijamos, logo eu estava com aquele cacete lindo, grosso e roliço pulsando na minha boca, mamei aquela linda pica de cabeçona roxa, ele tirou a minha roupa e me deitando na cama, chupou a minha boceta deixando o meu grelo duro de tesão, gozei duas vezes na boca dele, sussurrando, isso me chupa, meu macho, chupa minha bocetinha, chupa seu tarado, Logo ele estava me fodendo com aquele cacetão gostoso, gemi tão alto quando ele enfiou o cacete na minha bocetinha, tenho certeza que a minha irmãzinha ouviu por isso passei a gemer baixinho, fodemos gostoso gozei varias vezes, na boca e no cacete dele, só não dei o cu pra ele, pois sua pica é muito grossa e quando tentamos fazer sexo anal, eu não consigo, doeu muito e não terminamos a foda, eu não deixei ele meter no meu cuzinho.
    Eu estava exausta de tanto gozar, por isso eu me estatelei na cama e em poucos segundo já estava dormindo, não sei por quantos minutos eu adormeci, só acordei com um barulho estranho, até pensei que fosse minha filha Simone, o quarto estava escuro, logo vi que o meu marido não estava do meu lado, identifiquei que o barulho estava vindo da sala, e eram gemidos de prazer, me Levantei e fui até a sala, a cena que eu vi na minha frente, me deixou perplexa, sem ação, não acreditei no que estava vendo a principio me deu um misto de raiva e decepção, fiquei quietinha só olhando a cena, meu marido estava em pé a Bete estava pelada, sentada no sofá, com uma das mãos ela acariciava as bolas com a outra segurava firme o cacete na boca e mamava feito uma cadelinha no cio, ela mamava e punheta aquele cacete duro e grosso.
    Aos poucos eu fui me acalmando, aquela cena estava me deixando excitada de novo, senti a minha boceta molhadinha, meu marido levantou a Bete e beijou-lhe a boca, suas línguas duelaram e sumiam na boca dela, ele acariciava a boceta dela, que suspirava de tesão, ele a deitou no sofá e se ajoelhou no meio daquelas coxas roliças a bocetinha dela estava lisinha, toda depilada, ele caiu de boca naquela bocetinha raspadinha, ao contrario da minha que tinha uma vasta cabeleira de pentelhos dourados, o safado estava se esbaldando naquela bocetinha lisinha, ela choramingava e gozava se contorcendo na boca do tarado, logo ele botou ela de quatro no braço do sofá a putinha empinou totalmente a bundinha como oferecendo pra ele, que passou a lamber a bocetinha e o cuzinho dela, a língua ia de baixo em cima, lambendo tudo e deixando um rasto de saliva, ele se posicionou atrás da minha irmã, direcionou a cabeçona do cacete na bocetinha dela e foi empurrando, empurrando o cacete dele foi sumindo dentro dela, eu que pensava que minha irmãzinha era virgem, outra ingenuidade minha, meu marido socava fundo nela, ela gemia e rebolava, a safada estava gozando no cacete do meu marido.
   Ele tirou o cacete da boceta dela, que estava todo melecado de gozo da safada e quando pensei que tinha acabado, pra minha surpresa o safado direcionou a cabeçona do cacete pro buraquinho rosado do cu dela, não acreditei que ele fosse comer o cu da minha irmã, com aquele cacete daquele tamanho, muito menos que a minha irmãzinha, aguentasse uma tora daquela no cu, coisa que nem eu aguento, ouvi bem quando ela disse, vai seu tarado sem vergonha, come meu cu, come, já que minha irmã na te da o cu come o meu, vai me fode seu cachorro, ele obediente fodeu, meteu o cacete numa estocada só o cacete entrou mais da metade, eu imaginei que eles já deveriam estar fazendo isso a mas tempo, pela facilidade que o cacete entrou no rabo dela, ele passou a socar bem forte no rabo dela, eu passei a mão na minha buceta ela estava toda melada, minha raiva tinha passado agora só excitação, enfiei dois dedos na minha boceta e gozei junto com eles e antes que eles se desengatassem voltei pro meu quarto, e fingi que estava dormindo, vi quando ele voltou pro quarto e foi direto ao banheiro e lavou o cacete na pia, eu não sei porque fui conivente com isso e não tive coragem até agora de falar nada pro meu marido. O que eu faço? O que eu falo ou não faço nada e nem falo nada? Amigas me ajudem... O que eu devo fazer nesse caso?????
    Acho melhor eu me juntar á eles, relaxar e gozar muito, divertimento não vai faltar, aposto, será que vou me arrepender????   

sábado, 24 de maio de 2014

No Quarto da Empregada





        Ela era tão novinha quanto eu e tinha sido contratada para ser a nova empregada lá de casa. Nos primeiros dias me incomodou ter alguem estranho circulando pela minha casa, mas como a casa não era minha eu tinha que aceitar e ficar calado.
   Na segunda semana ao levantar para tomar uma água de madrugada, espiei seu quartinho e lá ela dormia apenas com uma camiseta cobrindo seu lindo corpinho, que só agora eu notava e era quase perfeito. Olhei, e por uns instantes fiquei quase que hipnotizado com aquela cena.
   Nos dias seguintes foi a mesma coisa, mesmo sem sede eu levantava só para espiar a nova empregada e à cada dia tinha uma nova surpresa.
   Num desses dias, ao espiá-la, notei que começava a se alisar lentamente, e aquilo é óbvio, começou à me excitar, primeiro os seios, depois no meio das pernas e aos poucos ela começou a se contorcer, nossa, aquilo começou a me deixar louco e eu ali com medo que meus pais acordassem e me pegassem ali espiando aquela jovem empregada.
   No decorrer dos dias fiquei observando até que um dia entrei no quarto e fiquei junto à cama, depois é claro, de trancar a porta. Ali, ajoelhado começei a alisar aquelas pernas, me detendo mais nas belas coxas daquela morena. Notei um sorriso discreto em seu rosto e continuei, agora sendo mais ousado e alisando por baixo da camiseta seus seios. O tesão foi tomando conta de mim e já não me controlava mais e agora, alisava seu sexo e afastava a pequena calcinha .
   Enfiei levemente o dedo e em pouco tempo ela estava molhando minha mão deliciosamente com seu meu. Ouví barulho no corredor e saí dali, mas a cabeça ficou naquele quartinho.
   No dia seguinte, coloquei um roupão e sem nada por baixo fui ao quarto da empregadinha gostosa. Chegando lá, vejo uma cena linda, a jovem morena estava apenas de calcinha  vermelha, parecia que me esperava, e a calcinha estava toda enterrada naquela bunda maravilhosa.
   Fiz o mesmo ritual, tranquei a porta e me ajoelhei ao lado da cama como da outra vez, só que dessa vez pela posição da moça, comecei a alisar aquela bunda e que maciez, que pele, não me contendo só com as caricias, fui introduzindo o dedo naquele cuzinho apertado, antes é claro, molhando o dedo com saliva. Notei que a menina não acordava, aí me soltei de vez, tirei o roupão e com o membro durissimo, começei a brincar com sua boca. Fui brincando com a cabecinha naquela boquinha carnuda, que aos poucos foi se abrindo, recebendo meu mastro por inteiro. Comecei os movimentos de vai e vem, cuidando para não gozar. Como dessa vez eu estava preparado, tirei do bolso um lubrificante, tirei sua calcinha lentamente para não acordá-la e com o cuidado de deixá-la ali na mesma posição, de ladinho, expondo sua "abundância". Lubrifiquei bem aquele cuzinho, me levantei e comecei a introduzir lentamente, e curiosamente, a moça não acordou, comecei a achar que ela estava fingindo, mas entrei no seu joguinho, afinal de contas não é todo dia que se come um cuzinho daqueles, gozei muito, limpei tudo e levei a calcinha de recordação.
   No final de semana seguinte meus pais foram viajar e fiquei sozinho com aquela beldade e na primeira noite perguntei à ela se não queria assistir tv comigo, pois sabia que ela não perdia a novela das oito. Na segunda parte da novela coloquei ela sentada ao meu lado no sofá, perguntei se ela estava dormindo bem nos últimos dias e ela respondeu que "dormia" muito bem. Aquele sorrisinho disse tudo e na terceira parte da novela ela me chupava deliciosamente. passamos à partir daquele dia a fazer de tudo em matéria de sexo e um ia ensinando ao outro, como velhos amantes, que saudades da minha empregadinha.....

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Uma Sessão de Fotos...



Um caso rápido que me aconteceu quando eu tinha o Studio fotográfico, nos anos 90. Estava eu sentado, fazendo as contas, como sempre, quando entrou uma garota loirinha, sorridente, se apresentou. Chamava-se Silvia. Olhei bem para ela, parecia ter uns 17 ou 18 anos. Queria fazer um book.
Mostrei a ela alguns exemplos de fotos que poderiam ser feitas em Studio, perguntei se ela tinha algum local interessante para fazer fotos externas, dei o preço.
Ela disse que queria todas as fotos no Studio mesmo. Tudo bem. Que dia que ela queria fazer as fotos?
- Não pode ser agora?
- Bem… geralmente a gente agenda, mas você tem sorte, estou folgado hoje, então posso fazer agora. Mas…
- Mas?
- Não me leve a mal, mas eu gostaria que um dos seus pais estivesse presente.
- Por que?
- Porque me parece que você é menor de idade… e eu não fotografo menores sem a presença de um dos pais.
- Mas eu não sou de menor! Tenho 22 anos!
Dei um sorriso.
- Não, querida, pela sua aparência eu digo que você tem 17!
Tirou a carteira de identidade da bolsa e me mostrou. Puxa vida, eu tinha me enganado redondamente, ela tinha 22 anos mesmo.
Pedi desculpas. Ela sorriu.
- Não precisa se desculpar, fiquei lisonjeada por você ter tirado 5 anos das minhas costas. Mas então, vamos ou não vamos fazer as fotos?
- Vamos. Escuta, você trouxe outras roupas? Ou quer todas as fotos com esta mesma? Eu tenho aqui algumas peças que talvez você queira usar.
- Não se incomode, tenho tudo que preciso aqui na bolsa.
Era uma bolsa grande, concordo, mas ali não deveria caber muita coisa. Enfim, ela queria assim, então fechei a porta, coloquei o aviso de que estava trabalhando para o caso de alguém chegar.
Entramos no Studio, preparei rapidamente a máquina, pus o filme, ajeitei os flashes.
- Estou pronto. Como você quer as fotos?
- Primeiro eu quero algumas só de meio corpo, depois de corpo inteiro.
- Ok, então sente-se nessa cadeira e eu vou dirigindo.
- Espera, tenho de preparar.
Tirou a blusa. Estava com um sutiã lindo.
- Quero com este sutiã.
Tudo bem… bati várias fotos dela com o sutiã. Ai pediu para eu esperar outra vez, pegou um outro sutiã na bolsa, foi ao banheiro e trocou. Voltou e ficou de pé para fazer as fotos com este novo sutiã. Fiz várias.
Ela foi ao banheiro e voltou com o sutiã antigo, mas sem a calça jeans que esta usando. Só de calcinha e sutiã que ela queria as fotos, de corpo inteiro. Não pude deixar de reparar que o corpo dela era muito bonito. Toda proporcional.
Fiz algumas fotos, ela deitada no chão, agachada… Quase deixei a máquina cair quando ela tirou o sutiã. Que seios maravilhosos…
- Tira uma foto dos meus seios, bem assim de close? Só eles?
Putz… comecei a suar frio. Tive de chegar bem perto do corpo dela. Ver aqueles peitinhos tão perto…nossa! que loucura!
Só que assim que tirei a foto que ela pedira, ela colocou as mãos em volta do meu pescoço e me deu um beijo na boca. Surpreso, não correspondi.
Ela afastou o rosto.
- Me beija, cara! Está com medo de mim?
- Não é isso… é que você me pegou de surpresa…
- Agora já não é surpresa mais. Vem!
E tornou a me beijar e dessa vez não neguei fogo. Beijei-a também e num gesto irrefletido, levei as mãos aos seios dela, que estremeceu toda. Freneticamente ela tirou minha camisa, abaixou minha calça, afastou minha cueca para o lado e caiu de boca em meu pau, engolindo quase todo e me chupando sofregamente.
Ainda bem que eu tinha camisinhas guardadas ali. Corri ao armário, peguei uma e voltei até onde ela estava, já tirando a calcinha. A buceta era tão linda quanto os seios. Falei que ia tirar uma foto dela, ela riu e concordou.
Aí ficou de quatro e me lançou um olhar de pedinte: queria ser comida mesmo!
Pus a camisinha e meti. Depois sentei na cadeira e ela sentou-se em mim, me cavalgando. Senti que eu estava quase gozando, então levantei-a, coloquei-a sentada, tirei a camisinha e coloquei meu pau na boquinha dela e ali eu gozei, com ela de olhos fechados, curtindo muito o que acontecera.
Nunca foi buscar as fotos! Sumiu completamente da minha vida.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Minha Enteada e a Amiguinha

Certo dia estava eu e minha enteada em casa pela manha, eu ajudava ela em um trabalho da faculdade, estava explicando e ela nao entendia, quando passado mais de uma hora eu disse sua amiga vai chegar e voce nao entendeu nada que expliquei vamos descansar um pouco depois estudamos juntos eu voce e sua amiga.
Então ela se levantou do sofá com shorts de ginastica seu rabo dividido, fiquei de pau duro ela foi para o quarto aonde ligou para sua amiga, ai veio e me disse ela chega em 30 min, eu fiquei vendo televisão, quando tocou a campainha, ela então abriu o portão, veio uma loirinha delicia, tambem de shorts de ginastica mas quando entrou na porta nao pude deixar de reparar a buceta dela dividida, minha enteada percebeu que olhei e disse esse é meu padastro vai nos ajudar no trabalho, quer beber alguma coisa, a menina disse uma agua.
Então os 3 sentado na sala estudando, nao podia para de olha a buceta da loirinha minha enteada só de olho em mim, ela ja sabendo que eu estava de pau duro, pois esse ela ja conhecia, falou pra mim pega suco na cozinha, levantei o meu shorts quase estourando a amiga dela percebeu, quando voltei sentei do ladinho da minha enteada, ela soltou uma assim, nossa vamos parar de estudar pois vou ficar maluca, eu falei ta bom, enquanto ela arrumava as coisas, eu sentado ela olhou pra amiga e disse. Olha só isso, pegou no meu cacete a amiga sem entender nada ficou vermelha quando minha enteada abaixou meu shorts e perguntou pra amiga ja viu um cacete desses, a amiga disse assim não desse tamanha nao, parece delicioso, minha enteada pegou a mao dela e disse segura e aproveita vou te emprestar.
A loirinha segurou nao resistiu e começou a chupar minha enteada tirou o shorts da loirinha que tava com uma calcinha ta pequena que quase nao dava pra ver, eu puxei minha enteada quando baixei seu shorts ela tava sem calcinha e eu chupei ela, depois deitei a loirinha e enfiei a cabeça devagar era bem apertadinha comecei a bombar enquanto minha enteada batia um siririca. depois coloquei a loirinha de 4 e comecei a comer aquela buceta como um animal ela gritava de tesão, quando minha enteada disse agora vem aki é minha vez.
la vai eu deitado ela por cima de mim cavalgando, uma delicia, derrepente ela fica de 4 e diz vc ja sabe o que quero, vai eu com o dedo lacear o cuzinho dela, a amiga nao acreditou que iria comer aquele cuzinho, eu comecei a forçar a cabeça passou, ela se jogou pra tras gemendo alto a miga cheia de tesão, disse isso doi, minha enteada disse só no começo quer experimentar.
Então minha enteada enquanto eu socava no cu ela enfiava o dedo no cu da amiga, foi quando ela tirou meu pau de dentro dela e disse vai, mas com calma ranca o cabaço dela, fui devagar com calma até ela acostumar depois dei umas bombadas fortes, quando deu a vontade de gozar tirei o pau pra fora e gozei na cara das duas, minha enteada cuspiu a porra agora sua amiga engoliu e disse que delicia, fomos tomar banho e depois eu dormi elas arrumaram as coisa e sairam.
Agora sempre fazemos tralho juntos, e sempre rola uma foda delicia para relaxar depois do trabalho pronto.