Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Ela Adorava Fazer Compras na Ceasa

     Ela vinha todas às quartas aqui na Ceasa , fazia parte de um grupo de Mulheres que como forma de economia comprava tudo por aqui, e transitava entre as caixas do local.Certa vez estava eu descansando nos fundos de minha banca quando uma morena escultural veio em minha direção, eu agindo como um verdadeiro tarado, coloquei meu membro para fora e fiquei esperando sua reação, ela me olhou por alguns instantes e pedi que ela pegasse meu instrumento, ela olhou para os lados e se afastou rapidamente, pensei que tinha feito alguma besteira mas o tesão foi maior e inevitável. Na semana seguinte lá estava aquela bela senhora novamente, não resisti e fiz o mesmo gesto, colocando meu membro para fora, ela dessa vez sorriu e perguntou se eu não tinha vergonha de fazer aquilo e disse que iria chamar a policia, respondi que ela não faria aquilo e pedi que pegasse em meu membro, segurando-o firmemente endurecido por sua presença, ela se afastou indo embora, mas parecia agir de forma diferente.Na Semana seguinte mudei de lugar e não demorou muito eu à ví me procurando, dessa vez baixei de vez as calças e pedi que ela segurasse meu membro já durissimo, ela foi surpreendida por minha presença e mais uma vez sorriu, dessa vez dizendo que tinha levado um grande susto, mas esticou o braço e segurou meu pau e começou ame masturbar lentamente, então começei a alisar suas belas coxas e apalpei sua bunda, exposta devido a sua calcinha minúscula, puxei-a para meu escritório, tranquei a porta, tirei o resto de minha roupa e deixei-a completamente nua, era belissima, perfeita, seios grandes, bunda arrebitada, cara de safada, do jeito que eu gostava. Coloquei sua mão em meu membro e comecei a alisa-la novamente, dessa vez chupando seus grandes seios, me ajoelhei e chupei sua bucetinha deliciosa, ela gozava muito com minha lingua parecia não estar acostumada com aquilo(me confessou depois que o marido não gostava de chupá-la). Deitei-a num colchão e meti em seu sexo já bastante molhado, bombei muito e ela gemia timidamente com lágrimas nos olhos, olhei-a profundamente nos olhos e disse:-Gostosa, quero comer esse cuzinho. Ela não negou, lubrifiquei-a, coloquei ela de quatro, que visão maravilhosa, e gentilmente introduzi naquele bundão gostoso, ela rebolava muito, gozei e me despedi dela, mas quase que ordenando que voltasse na semana seguinte. Ela faz isso há mais de dois anos e continua gostosissima, me disse que o marido não ligava para ela, bom pra mim.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Vizinho de Praia-Por Sapinha


 
    Meu nome é Michelle e modéstia à parte eu me considero um tesão de mulher. Tenho 26 anos, sou morena, um pouco alta, cabelos negros e crespos e compridos, indo até o meio das costas. Tenho tambem alguns atributos: Um par de coxas grossas e roliças, uma bunda redondinha que fica perfeita com uma calça justa.
   Atualmente, estou sem namorado e não pretendo ter nenhuma relação séria tão cedo. Em janeiro consegui férias na empresa onde trabalho e acabei pedindo para uma amiga, o apartamento dela emprestado  e para lá eu fui.Chegando lá constatei que o apartamento não tinha nenhuma infra-estrutura, isto é, nem gás tinha., sem alternativa fui comer fora.
   Prto das 10 horas da noite, quando retornava, peguei o elevador com um rapaz, que disse se chamar Mauricio e que tambem estava passando férias sozinho, desde o final de dezembro, fiquei contente de conversar com ele e mais contente ainda quando descobri que era meu vizinho de porta, ele no 101, eu no 102, que feliz coincidência.
   Acabou não rolando nada naquela noite, pois eu me mantive um pouco à distância, só para sacar o que ele poderia estar querendo, já que, no elevador, me tratou com muita gentileza e estava bastante sorridente.
   No dia seguinte, eu acordei pensando em Mauricio e não conseguia parar de pensar nele, fiquei abismada comigo mesma, porque não sou de agir assim quando conheço um cara, mas realmente ele era um tesãozinho e deveria ter uns 22 anos, no máximo.
   Como eu não conseguia parar de pensar nele, resolvi agir para ver no que ia dar. Coloquei meu biquini preto, peguei uma cadeira de praia e como quem não quer nada, toquei no apartamento dele. Lá de dentro, ele perguntou quem era e eu respondi:-Sou eu, sua vizinha que chegou ontem, ele então pediu que eu entrasse. Achei estranho aquela porta aberta e me dirigi à cozinha e lá estava ele fazendo café, mas completamente nú.Ao vê-lo assim, me excitei na hora, mas ele nem sequer esboçou qualquer tipo de reação e me cumprimentou normalmente dizendo: -Oi gata...eu estava fazendo café e ia levar para voçê.
    Fiquei contente com essa atenção e comecei a me desmanchar toda, eu, a esta altura, já não tirava mais os olhos do pau dele que começava a ficar duro, talvez por minha causa:
  -Voçê sempre fica assim à vontade?, Mauricio sorriu, se olhou e disse:- Pode ficar tranquila que eu não ia no seu apê desse jeito.
   quando ele ficou com o pau completamente duro, eu cheguei perto dele e sussurrei em seu ouvido as seguintes palavras:-Deixa eu chupar o seu pau? Ele , como se estivesse acostumado com esse tipo de situação, não disse nada e apenas segurou seu pau, para que eu pudesse engoli-lo, e assim eu fiz. Depois de mamar naquele cacete por mais de cinco minutos, ele começou a gemer e disse:
-Para de chupar, que...eu..vou...gozar.
Ah, eu não ia permitir uma coisa dessas, parei com a chupetinha, tirei as duas peças do biquini, sentei no sofá com as pernas escancaradas e ordenei: -Gasta essa energia toda aqui, ó, e apontei para minha bucetinha que já estava pegando fogo.
   Ao ver minha xereca que é um pouquinho grande, já que eu sou do tipo cavala, Mauricio não se conteve e caiu de boca. -Que bucetão, ontem eu não tinha reparado nesse detalhe.à medida que ele passava a lingua, um calor ia tomando conta do meu corpo, o cara era um mestre na lingua. Cansado de tanto chupar ele se levantou, segurou o pau e de uma só estocada cravou aquele pau durissimo e ficou assim uns dois minutos, aí ele me arrastou para o quarto me botou de quatro, pegou um óleo na mesinha de cabeçeira, passou no meu cuzinho e sem cerimônia comeu minha bundinha deliciosamente, me fazendo chorar de tanto tesão, e ficamos assim a tarde inteira, e nas outras tardes tambem até eu voltar para casa.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

18 Aninhos e Carinha de Anjo

     A Filha de minha mulher, de seu primeiro casamento, é uma menina de dezoito anos, loirinha, olhos verdes, longos cabelos e belo rosto onde além dos olhos e do narizinho arrebitado, o destaque é sua boca, de lábios carnudos, vermelhos, extremamente bonitos.
  Esse conjunto perfeito é a culminância de um corpinho que é comentário obrigatório de todos que conhecem Karina. Braços, pernas, coxas roliças bem torneadas, uma bundinha empinada, redondinha, pezinhos perfeitos, enfim uma criaturinha angelical.
   Conheci sua mãe depois de oito anos de sua separação e karina tinha apenas 15 aninhos, e era extremamente carente do amor paternal, pois seu pai havia sumido.Então aquele anjinho sempre me tratou como um pai, tendo plena confiança em mim e constantes sentadas em meu colo. Meu relacionamento com a mãe de Karina começou no verão e ali eu ví crescer aquela futura mulher. Com o tempo fui me apaixonando por aquela menina que parecia me provocar cada vez mais no nosso dia a dia. Num final de semana sua mãe me pediu para que passasse protetor solar na menina, enquanto ela se trocava, pois Karina queria ir antes para a praia. Quando começei a passar a loção nos ombros da menina, instantaneamente sua pele se arrepiou da nuca às coxas. ao ver aquela reação quis me certificar que ela era sensivel ao meu toque e baixei suavemente as alças de seu maiozinho, deixando-a com os seios de fora, e que seios, eram até grandespara uma menina em crescimento, mas afinal de contas ela já tinha dezoito, só era bastante infantil para a idade, ela aceitou meus movimentos e continuou a conversar animadamente, foi então que começei à passar e suas costas, passei então para seus seios que pelo bom tamanho cabiam na mão, ela prontamente ficou excitada , mas não falou nada, apenas fechou os olhos e mordeu os lábios, mostrando o seu estado.Deslizei para a barriga, passei de novo nas costas, alisei a bundinha, deliciosa, e puxei-a para mim, ela alterou de vez a respiração e suspirou baixinho.Fiquei extremamente excitado, mas prossegui pedindo que ela colocasse o pé num banquinho para que pudesse passar protetor na parte interna das coxas, ela se apoiou em meu ombro e então segurei seu pezinho, subi pela panturrilha, passei por trás do joelho e cheguei na coxa, parecia que meu sexo iria saltar, ela por sua vez me arranhava as costas e puxava meus cabelos, me ajoelhei atrás dela e beijei sua bundinha deliciosa, e mordi de leve.Ao passar a mão próximo de seu sexo acabei gozando, mas Karina nem percebeu, pois continuava de olhos fechados sentindo a mesma sensação que eu.me atrevi um pouco mais e introduzi o dedo em seu cuzinho, e com a outra mão acariciava seu sexo, tambem com os dedos abusados e ela sussurrou:-Ai que bom paizinho, continua assim....
   Mas eu com medo que sua mãe chegasse beijei sua boca e pedi que fosse para a praia que mais tarde brincariamos mais.
  À noite acabei embebedando sua mãe que logo dormiu, e coloquei-a na cama. Voltei para a sala e Karina de camisola, estilo Baby Doll me esperava. Ela prontamente sentou em meu colo e pediu que continuasse a brincadeira da tarde, começei lhe dando um beijo molhado, enquanto acariciava aquele corpinho todo, apertei aqueles seios, apertei sua bundinha, e enfiei levemente meu dedo em seu sexo já molhado pela excitação do beijo.Deixei-a nua e pedi que deitasse, então abri suas pernas e cai de lingua naquele sexo gostoso com sabor virginal, ela puxava meus cabelos e gemia, depois de muito lamber aquela delicia me levantei e tirei o short, deixando meu sexo em sua frente, chegava a doer de tão duro, ela pegou e começou a me punhetar lentamente, depois colocou a boquinha quente e começou timidamente uma das melhores chupadas de minha vida, aproveitei para deitar e fazer um 69, aí quase gozei, mas consegui controlar pois queria meter muito naquela menina, abri suas pernas e meti bem devagar, depois deixei ela por cima e pedi que rebolasse como quando dançava suas músicas preferidas, nossa aí ela se superou, que delicia, pedi que ficasse de quatro e comi aquele cuzinho rosado e no final pedi para gozar em sua boca e ela fez com muita curiosidade e engoliu tudo. Até hoje estou com sua mãe e nos finais de semana como aquela delicinha como se fosse a primeira vez, e a carinha de anjo agora tem carinha de safada.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Por Baixo do Avental Uma Calcinha Minúscula

     Atualmente tenho viajado demais pelo Brasil e moro em hotel durante a semana. De passagem por Santa Catarina fiquei num hotel quatro estrelas. Na primeira manhã, pedi por telefone o meu café da manhã e levantei-me para abrir a porta para a camareira, depois de ter colocado meu pijama. A moça entrou, toda bonita, num avental colante que lhe ficava super bem, desenhando seu lindo corpo.Com toda evid~encia, ela só estava com um fio dental por baixo. Era jovem, depois soube que tinha 19 anos e tinha seios e uma bunda sensacionais. Ela saiu dando um grande sorriso e me desejando um bom apetite.
   Ao saber que era ela quem servia o café da manhã todos os dias, no dia seguinte pedi para que me servissem o café às oito horas.Destranquei a porta e voltei para a cama, nu, com o lençol no pé e me acariciando pensando na camareira que iria chegar em seguida.
  Ás Oito, deitado nú, com uma bela ereção, ouvi baterem à porta, mas fiz de conta que estava dormindo.A Garota bateu duas, três vezes e , como eu não atendi, ela entrou no quarto e deixou a bandeja no criado-mudo. Ela viu meu sexo empinado, mas não pareceu se preocupar. Fingi que acordava e ela murmurou:
-Seu café da manhã, senhor.
Fiz uma cara constrangida e disse:
-desculpe, acho que peguei no sono e não a ouvi bater.
Puxando o lençol sobre mim, acrescentei:
-Ainda mais, voçê me pegou com uma ereção enorme.
Ela sorriu:
-Eu sei o que é um homem e isso não me desagrada.
Atrevendo-me, voltei a descobrir meu sexo e sugeri:
-Voçê deve saber o que fazer para acalmar minha excitação, não?
Ela me garantiu que gostaria de me aliviar, mas tinha outras bandejas para entregar. Ela continuava encantadora, nua por baixo do avental, só com seu fio dental.
Eu via os bicos dos seus seios firmes.Ela não desgrudava os olhos do meu sexo, Eu propus:
-Venha um minutinho, gostaria que voçê me fizesse gozar.
Acabou aceitando.Foi trancar a porta e disse:
-É preciso que seja rápido
Ela sentou-se na beira da cama, abriu a parte da frente da blusa e abraçou-me, enquanto eu lhe acariciava os seios e desceu na direção do meu sexo.ela começou a me chupar com sabedoria, acariciando meu corpo, meus testiculos, vibrando a linguaa ao redor da minha glande, abocanhando tudo, deixando a saliva deslizar para me masturbar. Era divino. Deslizei a mão entre suas coxas e a masturbei por baixo do fio dental. Ela era quente e úmida, eu sentia seu clitóris se endurecer e introduzi, aos poucos os dedos na sua vagina.Eu a masturbei cada vez mais depressa e , em dois ou três minutos, nós explodimos num orgasmo fabuloso.Ela se levantou vestiu a calcinha, pegou um chapéu de mulher que eu tinha comprado de presente se olhou no espelho e perguntou:
-Mais alguma coisa senhor?
Olhando aquela bunda maravilhosa, disse, sim, quero essa bundinha de quatro aqui agora, ela se posicionou, empinou esse rabo maravilhoso e eu meti com vontade, aliás fiz isso o mês inteiro enquanto estive hospedado lá, nunca me esquecí daquela moça, só me sobrou essa foto...