Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quarta-feira, 25 de março de 2015

Casada Carente

casada carente




Fui realizar um curso de especificação em vendas, em um
Hotel em POA, que duraria 02 dias. Muitas pessoas
bacanas, maravilhosas, colegas de profissão. No 1o dia,
sentei ao lado de uma loira, muito bacana, e passamos a
conversar muito, era do interior do RS,casada, 34 anos,
muito bonita, alta, inteligente, mas notava que faltava
algo para ela. Após muitas conversas, chegamos ao lado
do amor, sentimentos e percebi que estava muito carente.
Problemas em casa me disse. Senti que poderia avançar.
Marido só jogava cartas, fumava, e não dava a atenção
merecida para ela. Sexo, de vez em quando. No final do
dia, fomos jantar juntos no hotel, e após, convidei-a
para subir para o meu quarto, ela também dormiria no
hotel. Como presumia, ela concordou. Estávamos muito
íntimos. Vestia um conjunto de blazer e saia muito
atraentes, com uma pequena fenda atrás. Assim que
entramos coloquei uma musica e começamos a dançar.
Estava muito carente, comecei a acariciá-la, beija-la
nos lábios, sua língua se enroscava na minha. Tirei o
seu blazer e minha mão foi descendo pelo seu corpo, sua
bunda era magnífica, redonda, não muito grande e nem
pequena, bem dura, acariciei com muito tesão, seus seios
eram médios, durinhos, bicos grandes e redondos, sua
boca era muito deliciosa. Estava muito excitada, se
esfregava toda em mim, pedia desesperadamente que
tirasse sua roupa, a agarrei no colo e a levei para o
chuveiro, tomamos uma ducha bem deliciosa. Nos secamos e
fomos para a cama, ficou impressionada com o tamanho da
minha vara, (19cms, torto, grosso e cabeçudo), disse que
o do marido perto do meu pau, era um pintinho. Lambeu
meu pescoço, peito e veio descendo até chegar junto a
cabeça da vara, e pediu para chupar gostosamente. Era
uma exímia chupadora de vara. Disse que gostava muito,
mas o marido não aprovava, que nunca o traiu, mas que
gostou muito de mim. Fui me virando e fizemos um 69
gostoso, sua bocetinha loira era peluda, com grandes
lábios que chupei deliciosamente. Seu gozo veio com
muita intensidade, quase desmaiou, mas continuou
mamando, adorava isso, dizia, que pau delicioso,, bem
cabeçudo e arrochado.. Disse-me que gostaria de cavalgar
em cima da minha vara, me deitei e veio por cima, onde
gostosamente cavalgava como uma amazona, onde pude mamar
deliciosamente nos seus seios, pareciam duas maçãs,
prontas para serem devoradas. Ficamos uns 10 minutos
nesta posição, e passei a enraba-la por trás, de quatro,
a visão daquela bunda era indescritível, sensacional,
super excitante, agarrei seus cabelos por trás e socava
com muito tesão e força, ela pedia para enfiar até o
fundo, me come, me arromba tesão, arrebenta minha xota,
deixa-me ir para casa com a boceta toda arrombada e
alargada, vamos, me atola até o fim, adoro uma vara
super grande e grossa, seu pau é demais, quero gozar,
sentindo que o seu gozo viria, acelerei as estocadas e
novamente ela gozou deliciosamente, caindo no colchão, e
eu deitado por sobre ela com o pau enterrado na sua
boceta toda lambuzada. Disse que gostaria de comer seu
cuzinho, ficou apavorada de medo, dizendo que eu
arrebentaria as pregas do seu rabo, pois nunca tinha
dado o cu para o seu marido. Pediu para deixar para
outro momento e queria realizar uma fantasia de chupar
uma vara até receber o gozo no rosto, pois seu marido
achava muito nojento, mas ela adoraria fazer isto pela
1a vez e eu tinha sido o escolhido. Com o cacete ainda
duro, fui até o banheiro, o lavei e voltei para ela dar
o tratamento necessário nele. Sentei ela na cama e
fiquei de pé, onde assisti um boquete sensual bem
gostoso, onde ela foi acelerando, acelerando e recebeu
gostosamente na boca todo o meu leite, em enormes jatos.
Não desperdiçou nenhum pouco, bebeu tudo. Fomos para o
banheiro tomar um delicioso banho, e dormirmos juntos
até o outro dia. No final do curso, levei-a até o
banheiro masculino do hotel, e ela me fez um gostoso
boquete, pois disse que adorou minha vara torta e
grossa. Deixou seu telefone para um próximo contato. Ela
mora a 600kms da capital.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Meu Primo-By Patricia

Ola me chamo Fernanda, tenho 18 anos e desde meus 15 anos sou muito tarada por sexo. Sempre tive desejo de ficar com o meu primo , por isso direto eu sempre dava desculpa para ir posar na casa da minha tia, lá era praticamente minha outra casa.. Eu passava mais tempo lá do que em minha própria casa ( por esse motivo vou me referir a casa da minha tia como sendo a minha ) enfim.. e meu primo sempre foi
bonitão estilo fortão, eu sempre gostei
de andar de roupas curtas dentro de
casa, eu acho que sou gostosa porque
onde eu passo faço os homens se virar
pra olhar, tenho um bunda redondinha
seios fartos enfim... sempre percebi
que meu primo me olhava diferente ele
sempre teve uma cara de tarado , ele sempre me comeu com olhos, e agora eu no
auge dos meus 18 anos comecei a sair
com minhas amigas meus tios estavam
viajando nesse fim de semana e não
tinha o habito de beber mas aproveitei
e bebi nesse dia um pouco alem , eu
cheguei em casa um pouco embriagada, e meu priminho que me recebeu, Não estava nem
agüentando andar de tão ruim k ' Eu
tava tarada de vontade de foder, chego em casa meu primo de samba canção ele me abraçou e me ajudou a subir as
escadas pra não cair, foi quando sem
querer ele pegou nos meus seios de uma
forma que senti ate a alma latejar de
tanto tesão, ele me levou ate meu
quarto sentei na minha cama perguntei
se ele podia me ajudar no banho, ele
riu e disse que sim, eu mal agüentava
tirar minha roupa, ele tirou minha
roupa percebi que quando ele tirou
minha blusa ficou louco só senti um
volume encostar em mim ele me
ajudou no banho passou as mãos no
meus seios e percebi que ele tava louco
foi quando tirei a calcinha e falei: 
- lava ela pra mim Thiago, ele sem nem
conseguir pensar passou a mão na
minha buceta, fiquei louca, ele meteu dois
dedos dentro dela e eu gemia de
tesão, gozei gostoso, ele entrou em baixo do chuveiro comigo, ele me fez
delirar quando começou a me chupar
os seios de uma forma bruta e
carinhosa, que me fez sentir o seu pau
latejar de prazer, quando eu pequei seu
cacete foi um susto, amei o tamanho do
brinquedinho de prazer, eu logo fui colocando na boca pra senti o seu
gosto e dali me deliciei como nunca, eu
chupava como uma bezerra aquele leite
maravilhoso e o sentiu pulsar na
minha boca do seu cacete lindo e ele
pegava minha cabeça e me fazia
engolir aquele cacetão, ele gozou na minha
cara toda. Me lavou pegou e me
enrolou com a toalha e disse que era
melhor parar por ali , so que eu
queria mais,, muito mais ....
Depois do banho senti que tava menos
embriagada , mas tava louca de tesão,
coloqueii um shortinho branco
curtinho quase que transparente e uma
blusinha transparente com aqueles bicos
do peito apontando. Ele tava na sala
vendo filme eu sentei perto dele vi que
ele me olhou de tarado de novo mas
tentava se controlar ao contario de
mim foi quando ele percebeu o que eu
queria mais.
Deitei no colo dele e percebi que ele já
tava de cacete duro de novo. Olhei na
cara dele e disse quero foder gostoso com vc
hoje a noite toda, sentir esse
cacete entrar na minha buceta
molhadinha. Ele ficou louco saiu me
puxando ate o quarto dos meu tios ligou o ar me colocou em cima da
cama, tirou minha pouca roupa ,tirou a
dele, passou o pau no meu rabo,
brincou um pouquinho na porta do
meu cuzinho, abri ainda mais a perna
para facilitar, ele esfregou aquele
cabeçorra ali e depois passou para meu
grelinho e finalmente me roçou
com a cabeça de seu pau, roçou-a em
seguida na entradinha da bucetinha,
mas não enfiou, ficou ali enquanto eu
gemia de prazer, meu corpo já estava
em chamas, acariciou meus peitos, foi
romântico, de leve, mas não enfiou a
pica, afastei tentando faze-la entrar,
mas a cabeça era muito e lambeu o
meu rabo, passou a língua na xaninha,
no cuzinho e foi subindo até meus
seios, deu uma mordiscada
e me beijou, fui ao delírio, peguei o pau
dele e o masturbei, pedi pra ele meter
mais na minha buceta, ele abriu minhas
pernas e enfiou a cabeça e começou a
mexer, e depois começou a bombar
devagarzinho, aumentando
gradualmente a velocidade, enquanto
ele bombava, eu dedilhava meu
grelinho... gozei e gozei várias vezes e
não parava mais de gozar, e ele me
fodendo gostoso, cada vez mais rápido,
meu cuzinho já estava relaxado,
acostumado com aquela pica imensa
enchendo todo ele, e as bombadas
eram cada vez mais profundas e meu
gozo cada vez melhor, logo ele disse
que ia gozar, me puxou contra seu
corpo de maneira que a pica enterrou
todinha, senti os bagos castigarem
minha xana, ele me segurou firme e
gozou, senti sua pica latejando,
pulsando e expulsando aquela porra
dentro do meu cuzinho. Assim que ele
gozou. Olhei pra ele mais sensual do
que nunca e disse quero mais... e ele e
me comeu de novo, desta vez fiquei de
ladinho e ele então botou toda sua pica,
, mas era o suficiente
para eu gozar. Gozamos desta vez e
naquele dia sentimos como se fôssemos
marido e mulher. ele continuou
comendo sempre. Ate hoje dou pra ele
depois conto mais, tenho que limpar
minha buceta que ta toda meladinha
já....

quinta-feira, 12 de março de 2015

A Amiga da Minha Filha


     Ola, meu nome é Antonio, tenho 43, de idade e sou Casado.Muito bem, Vamos ao conto.Há alguns meses minha mulher viajou 20 dias de ferias e eu e minha filha ficamos em casa, e os dias foram se passando, eu sou um cara meio na minha, 23 anos de casado e nunca tinha traído minha esposa, e nem me passava tal coisa pela cabeça em um fim de semana uma amiga de minha filha e o namorado dela, nos chamaram para passar o fim de semana com eles na praia, iria eu, minha filha, o namorado dela, e a amiga com seu namorado, eu relutei um pouco em ir mas essa amiga e o namorado dela iam sempre lá em casa e já nos conhecíamos muito bem.         A Andreia e o Roberto foram lá em casa ,( a amiga ) e insistiram e acabamos indo todos eles. Foram de moto e eu de carro, ainda fui pensando, isso vai ser uma seguração de vela da porra. Chegamos na sexta a tarde, arrumamos o apartamento e depois fomos comer pizza, e os casais estavam todo na maior sintonia e eu lá de pau na mão, chupando dedo. Bem, como estávamos cansados fomos dormir para pegar uma praia no outro dia. Acordamos cedo e fomos para praia, passamos uma parte da manhã e eu disse que iria para o apartamento descansar um pouco, dai cheguei, tomei um banho e estava no sofá quando vejo a porta da sala se abrir, era a Andreia, gostosa que só ela, vou descreve-la, 1,75, loira, de cabelos longos e cacheados, uma pele que parece mais um pêssego, olhos azuis, seios médios, uma bunda redonda de tirar o fôlego, pernas bem torneadas e meio que sarada, de academia. Confesso que quando ela ia lá em casa ficava olhado aqueles seios, ficava me imaginando mamando e chupando aquele corpinho maravilhoso e pensando:- Roberto é um homem de sorte comer uma Deusa destas... Ela abriu a porta e eu perguntei o que tinha acontecido, ela me disse com os olhos vermelhos que havia se desentendido com o namorido e que ele era estúpido com ela. Ai disse que era para ela ficar calma e que tudo ia ficar bem, nesta hora ela me deu um abraço. Só de encostar nela minha pica endureceu, já estava ha 19 dias sem mulher, ela me abraçando daquele jeito, eu de sunga, meu pau parecia que ia explodir de tão duro e já começava a roçar nela, fiquei meio que envergonhado, mas o que eu ia fazer para esconder aquilo, então ela afrouxou um pouco o abraço e para minha surpresa me olhou com uma cara de safada e me perguntou como eu estava arrumando sem mulher. nem respondi pois meu pau a esta altura já roçava a chaninha que a esta altura estava molhada, dei-lhe logo um beijo, naqueles lábios canudos dela e comecei a passar as minhas mãos por aquele corpo jovem, tudo durinho, peitinho empinado, uma menina de 20 anos pensa! Meu coração chegava a palpitar, sentia meu pau latejando de tão duro e fui chupando aqueles seios, minha vontade era de devora-la todinha. Neste hora pensei que eles poderiam voltar a qualquer momento, então ela me disse que eles foram passear de escuna e que deveriam demorar uma hora e meia mais ou menos e foi falando isso ,puxando, minha sunga e colocando meu pau para fora e chupando ele e enquanto chupava dizia:Sempre tive o maior tesão em voçê, mais nunca me dava bola, era como se eu não existisse, mas voçê só olhava para sua mulher¨e chupando meu pau e dizendo:Que pau gostoso que voçê tem, se eu fosse sua mulher não desgrudaria nem um minuto de voçê e eu disse.¨Porra voçê tem namorado e jamais achei que voçê se interessaria por um cara como eu, mas sempre te achei linda, e confesso que já bati umas punhetas para voçê Neste momento ela começou a chupar meu pau com uma tremenda voracidade, parecia faminta por pica, quando ela disse.Aquele corno além de ter um pau pequeno goza rápido, se eu fizer um boquete gostoso como este  ele goza na primeira, me deixado na saudade e eu não aguento mais ver ele gozar e eu me sinto usada. Então peguei-a pelo braço e a coloquei no meu colo, levando para o quarto e disse.Voçê quer um homem de verdade? voçê vai ter um,e joguei ela na cama e já fui caído de boca naquela xota que estava muito molhada e exalando aquele cheirinho gostoso de mulher no cio, uma xota branquinha, com poucos pelos, e os lábios rosados. comecei a chupa-lá e já fui a penetrando com 2 dos meus dedos, ela rebolava, fui tocando sua xotinha  Chupava e procurava seu clitóris, quando achei comecei a caricia ela endoidou, e se contorcia, e gemia igual a gato no telhado, então parei de chupar e a chamei de vadia, puta, safada e meu dedinho lá, então ela soltou um gozo delicioso, e eu quando vi que ela estava gozado comecei a chupar de novo para sentir aquele gozo gostoso na minha boca, então coloquei ela de 4 e comecei a chupar de novo para ela não perder o embalo, só que desta vez experimentei passar a língua no cuzinho dela, ela  foi à loucura dizendo quase sem fôlego, que delicia, que nunca ninguém nunca tinha feito isso com ela, e eu só pensava em desvirginar aquele cuzinho. da xota escorria gozo então ela disse.-Quero este pau dentro de min. Que delicia ouvir aquela Deusa implorando minha pica, comecei a pincelar calmamente os lábios vaginais quando ela disse.Quer me matar de tanto tesão? Voçê está judiando demais de mim, mete logo. Então ela passou suas pernas por trá de meu quadril, fazendo força para penetra-lá logo e eu resistindo e ela:- Enfia este pau dentro de minha buceta, arregaça ela agora eu sou sua puta. Então fui metendo nela, sentia meu pau abrindo aquela bucetinha pequena, tenho uma pica de 20cm x 7 e comecei a bombar nela devagar, na terceira bombada senti o corpo dela arrepiar todo e vi que o gozo dela se aproximava, então me aproveitei e estoquei ela fundo, com força, e ela.¨Me fode seu cavalo e gozou acompanhada de um gemido forte, a bucetinha dela parecia um tubo de KY de tão molhada então falei que queria comer o cuzinho dela, ela dizendo que ,nunca tinha dado e tinha medo de doer, então comecei a chupar o cuzinho dela e ela ficou louca, chegava a piscar ,fui na cozinha, peguei óleo e untei meu pau e o cuzinho dela e falei que iria colocar só a cabecinha e ela falou  coloca tudo , e eu:- fica fria,  e comecei a forçar aquele cuzinho apertado e frágil diante da minha pica envernizada e lubrificada, forcei um pouco mais e meu pau pulou para dentro do rabo dela que gritou ,então parei e comecei a acariciar o grelo dela, e ficamos ali imóveis por alguns minutos e perguntei se tinha parado de doer, ela confirmou com cabeça que sim, então perguntei se era para tirar e ela disse:-não, então comecei a bombar devagar, meia pica no rabinho dela, ela começou a gemer, senti que o tesão estava vindo e começamos aquele vai e vem gostoso, já não estava aguentando mais de tesão, sentindo aquele cuzinho apertado, contraindo minha pica, quando ela falou:-Enfia mais, quero tudo neste meu rabinho, me arregaça toda, me faz sua mulher, então dei uma estocada e entrou tudo senti uma lágrima rolar pelo seu rosto e continuamos por mais alguns minutos, enquanto eu fodia, acariciava seu peito, e os biquinhos estava duros, hora eu  ia no grelo e acariciava, arrancado gemidos dela quando ela falou:-me fode gostoso meu cavalo e eu aumentei a frequência e ala gozou, eu já estava quase lá e falei vou gozar então ela se virou tão rápido que nem vi e falou ¨ quero seu gozo na minha boca, to precisando do seu leitinho¨ e começou a chupar meu pau que demorou a explodir um jato de porra que inundou a boca dela e então tirei, e o segundo jato foi na cara e ela engolindo tudo, quando terminamos ela tinha porra por todo o rosto e cabelo e escorria um pouco pelos seios . Ela se levantou tirando um pouco de porra com os dedos e levando ate boca dizendo voçê é um cavalo e adorei dar para voçê e vou querer de novo, mas não hoje, pois voçê deixou minha xota toda esfolada, quando voltarmos quero ir a um motel com voçê .Eu mal podia acreditar que tinha comido aquela gata e que ela queria repetir a dose.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Abusada pelo Médico





         Eu era muito jovem, ainda era solteira e não tinha malícia quando fui a um médico sozinha. Eu estava sentindo enjôos. Esperei na recepção onde uma secretária disse que ele estava atendendo outra paciente e era para eu aguardar.
      Depois de 19 minutos de espera ele me chamou em sua sala. Pediu para eu sentar do outro lado da mesa em que ele estava, e ouviu minhas queixas.
Em seguida ele pediu para que eu me deitasse na maca para me examinar.
Tirei apenas os sapatos e me deitei na cama. Ele levantou minha blusa até a altura do sutiã e apertou meu abdômen. Eu não sentia dor alguma, apenas cócegas. 
    Depois disse:
- Como você já pagou a consulta, vou te examinar por completo para valer o pagamento. Assim posso descobrir o que você realmente tem. Porque com a apalpação do abdômen eu não percebi nada anormal. 
Eu assenti com a cabeça.
Ele mandou:
- Tire sua blusa e o sutiã, depois deite-se e coloque as mãos atrás da cabeça.
Fiquei um pouco constrangida, mas médico é médico. Sempre fui criada achando que médico é uma pessoa superior a qualquer pessoa normal, que estudou e tem total autonomia para mandar. 
Ele olhava para os meus seios de uma maneira estranha, mas achei que ele estava olhando para ver se via alguma anomalia. Depois começou a apalpar o seio direito demoradamente apertando o bico e fazendo massagem na auréola. Depois foi a vez do outro seio. Ele às vezes perguntava se estava doendo.
Depois que examinou meus seios, pediu para eu abaixar a calça e a calcinha. Assim eu fiz. Eu estava envergonhada, mas ele era médico, já estava acostumado a ver mulheres nuas. 
Já sem calcinha ele dobrou e abriu minhas pernas. Fiquei assim, exposta e envergonhada com a posição. Disse que precisava examinar minha vagina. Eu perguntei a ele o que isso teria a ver com o enjôo que eu sentia e ele disse tudo poderia ser ginecolágico porque qualquer alteração poderia dar enjôo. Ele colocou luvas de borracha nas mãos e enquanto abria os lábios externos da minha vagina, me disse que além de clinico geral também era ginecologista e proctologista. E que eu estava em átimas mãos. 
Depois senti ele enfiar um dedo na minha vagina. Em seguida ele tirou e enfiou 2 dedos. Já senti a coisa engrossar. Resmunguei um pouco. 
Então ele disse:
- Você precisa confiar em mim. Se quiser posso parar agora, mas eu quero descobrir o que você tem. Afinal foi para isso que veio aqui. 
Eu assenti com a cabeça.
Em seguida ele disse:
-Pode doer um pouco, isso é normal. Se doer muito, pode falar.
Assenti com a cabeça novamente.
- Agora estou colocando gel na minha luva para introduzir os dedos com mais facilidade. Vou pedir para você me ajudar abrindo com as mãos os lábios externos da sua vagina.
Ele colocou inicialmente três dedos e empurrou bastante. Eu gemi um pouco, não sei se de dor... Como reflexo, fechei as pernas.
- Posso continuar? Ele perguntou sem paciência.
Assenti com a cabeça.
- Então abra bem as pernas. 
Ele começou a enfiar e tirar dizendo que assim ficava mais fácil a introdução, sem traumas. Eu continuava abrindo minha vagina para que ele colocasse mais e mais. Depois ele não falou, mas percebi que ele colocou os quatro dedos e empurrou até os ossinhos de suão mão grossa. Eu gemi ainda mais e ele dizia:
- Fique tranquila, é assim mesmo! Se quiser pode gemer. Mas não feche as pernas. Vou fazer esse exame se tornar mais agradável para você. 
Quando ele disse isso, enquanto ele enfiava os quatro dedos da mão na minha vagina com o dedão ele começou a massagear meu clitáris. Eu comecei a delirar de excitação e então comecei a mexer meus quadris para que ele pudesse enfiar ainda mais. Quando estava quase gozando ele simplesmente tirou suas mãos e pediu para eu descer da maca. Nossa, eu achei que ele tivesse percebido que eu estava quase gozando e iria parar de me examinar. Mas não foi isso.
Atordoada, desci da maca. Então, ele me pediu para subir um degrau de uma escadinha e encaixar meus pés nas laterais. Nessa posição minhas pernas ficaram bem abertas. Em seguida me orientou a encostar a barriga na maca. Assim, fiquei com meu bumbum e minha vagina expostos.
- Agora vou examinar seu anus. 
Como eu estava envergonhada pela situação anterior em que eu quase tinha gozado fiquei calada e esperei que ele me examinasse. 
- Se doer pode reclamar.– Ele falou.
Senti algo gelado pingar no meu rego. Logo imaginei que era um gel lubrificante. Em seguida introduziu um dedo no meu anus. A sensação não é a mais agradável possível, mas suportei. Ele enfiava e tirada seu dedo. Depois senti que estava mais difícil de entrar e percebi que ele estava enfiando dois dedos. Seus dedos eram grossos, aí eu reclamei um pouco, mas ele respondeu:
- Fique tranquila, relaxe, é assim mesmo! 
E assim ele enfiava e tirava seus dois dedos, quando para minha surpresa ele colocou três dedos. Reclamei bastante porque era muito grosso para o meu anus, e estava doendo. Mas ele não ligou, enfiava cada vez mais aqueles três dedos grossos no meu anus, com força. Eu apenas sentia que as vezes ele colocava mais gel. E dizia:
- Relaxe, relaxe! Pode gemer! – Falou com um tom de voz bem diferente da bronca que ele havia me dado.
Quando, para minha surpresa, com os três dedos no meu anus ele começou a introduzir os dedos da outra mão na minha vagina. Aquela sensação de ser duplamente penetrada me deixou excitada e então parei de reclamar quando ele além de tudo começou a massagear meu clitáris novamente. Eu mexia meus quadris para que ele me enfiasse mais e mais e delirava de prazer. Como era boa aquela sensação, apesar da dor. 
Enfim gozei. Achei que fosse acabar, mas ele continuou. Tentei fechar as pernas e me virar para que ele parasse, mas ele disse:
- Não, não, o exame ainda não acabou. 
Com as mãos ainda dentro do meu anus e da minha vagina, me colocou de volta na posição. Eu pedia, por favor para que ele parasse. Porque é muito ruim a sensação de estar sendo penetrada depois que a gente goza, principalmente quando mexe no clitáris . Mas ele só falava: 
- Relaxe, relaxe, relaxe! Eu ainda estou te examinando. Relaxe! Falava com a voz alterada.
Aí, comecei a gostar de novo e voltei a remexer meus quadris, até gozar novamente, mas ele não parava. Eu cheguei a chorar com aquela sensação ruim depois do gozo. E também pela dor no meu anus e também na vagina, mas depois que passava uns minutos, eu gostava de novo. 
Só depois de uns 40 minutos ele retirou seus dedos de dentro de mim. Eu já tinha gozado umas cinco ou seis vezes. 
Fiquei extremamente envergonhada sem conseguir olhar para seus olhos. Percebi sua calça molhada na altura do pênis. Ele também tinha gozado. O silêncio assombrou o consultário. Quando finalmente ele disse:
- Clinicamente você não tem nada, está muito saudável, caso contrário não haveria gozado numa consulta médica. – falou ele rispidamente. 
Eu quase morri de vergonha. Me senti culpada e leviana. Aquele molhado na sua calça com certeza não era gozo, talvez fosse gel.
Então, enquanto eu terminava de me vestir, ele disse:
- Vou pedir alguns exames de laboratário e volte aqui quando estiverem prontos.
Bom, nunca mais voltei naquele consultário. Naquela época fiquei muito envergonhada porque acreditava que o médico realmente pudesse estar me examinando e eu muito libertina gozei na consulta. 
Hoje tenho certeza que aquele cretino abusou de mim. E sim, o molhado na sua calça, com certeza era de gozo.