Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A "Boa" Vizinhança da Praia-133


    Há alguns anos começei a frequentar as casas que meu pai me deixou de herança. Na realidade nem o conhecí mas me deixou alguns omóveis que mudaram bastante a minha vida.
   Só para dar um exemplo, ganhei duas casas numa praia bastante badalada em Santa Catarina e começei a aproveitar o verão de um jeito que eu nunca tinha imaginado.
   Ajeitei uma das casas para mim e coloquei câmeras de segurança em lugares estratégicos da casa, eu gostava de me sentir seguro e era uma maneira mais fácil de vigiar os empregados que mesmo sendo de confiança, ficavam muito tempo sozinhos nas casas e isso me preocupava um pouco e eu adquiri o hábito de acompanhar o dia a dia das pessoas e de tentar entender um pouco do lado psicológico delas.
   Como as duas casas eram iguais resolvi alugar uma enquanto estava na outra e depois troquei, mas a instalação das câmeras eu fiz nas duas e tinha  uma central em cada uma delas. No primeiro ano consegui um bom dinheiro , pena que era no máximo até abril, já que nos meses seguintes esfriava muito e não ia ninguem para lá.
   Num mês de janeiro recebi dois casais que vieram junto com mais uma moça solteira, os dois casais tinham um filho quase da mesma idade e a moça tinha duas filhas e era separada, notei que as três mulheres eram muito gostosas e bastante parecidas, embora uma delas chamasse mais a atenção pelo seu corpo escultural e as meninas além de bonitas tambem tinham belos corpos.
   As três mulheres eram irmãs e poucas vezes ví mulheres tão belas numa mesma familia e aquilo aguçou minha curiosidade.
   Como eu tinha as câmeras, não resisti e começei a acompanhar o dia a dia daquelas verdadeiras deusas.
   Nos encontrávamos todas as manhãs quando eu aproveitava para dar uma corrida na beira da praia e ficava fascinado cada vez que via aquelas mulheres de biquini, eram verdadeiras esculturas, e os trajes bem pequenos. As meninas tambem usavam biquinis pequenos que deixavam aquelas bundinhas espostas para minha alegria.
   Descobri então que as três irmãs eram muito safadas e gostavam de se insinuar para os homens num bar que fica na praia vizinha, era o que eu precisava para perder a vergonha de vigiá-las.
   Certo dia, ao ficar na frente dos monitores de segurança notei que um dos meninos estava sozinho com a prima mais velha e isso certamente daria em alguma coisa e eu estava certo, os dois se atracaram num beijo, no inicio bastante timido e aos poucos a coisa esquentou, ainda mais que os dois ainda estavam com seus trajes de banho, a menina sentou no colo do menino e ele colocou as duas mãos naquela bundinha deliciosa , chegou a dar inveja daquela cena, o rapaz então tirou a aprte de cima do biquini e começou a chupar aqueles seios que eram bem grandes, depois ela se ajoelhou e caiu de boca na pica do rapaz e chupou muito, ele então resolveu colocá-la de quatro e começou a meter bem devagar naquela potranca, acabei saindo e nem ví como aquilo tudo terminou mas começei a ficar mais atento.
   Dois dias depois ví que os dois primos "pegaram" a mesma prima e fizeram um sanduiche com a gostosinha e ela delirava, os dias foram passando até que veio a grande surpresa. Numa tarde estavam na casa os dois primos sortudos e uma das irmãs, ela só de biquini vermelho com aquele bundão todo de fora, ela levou alguns parentes até a porta e ao voltar sentou no meio dos dois meninos e começou a conversar, parecia uma bronca mas ela pegou no pau do mais novo e começou a acariciar, em pouco tempo já estava chupando, depois ficou de quatro ainda chupando quando o outro primo e filho da loira se posicionou atrás dela e sem pedir começou a meter naquela bunda maravilhosa, o primo mais novo saiu de repente e ficaram a sós mãe e filho se divertindo como velhos amantes, foi aí que entrou a irmã do meio, a tal que falei que era escultural, ela estava com um shortinho de lycra e ao entrar na sala já foi entrando na brincadeira e o sobrinho comeu aquela gostosa tambem, eu fiquei maravilhado com a cena e arrumei um jeito de me aproximar e em pouco tempo virei amigo delas e depois consegui comer uma por uma e até teve um dia que peguei as três irmãs no mesmo dia, mas isso é outra história.

domingo, 8 de maio de 2016

132-A Moça do Raio X


  Tive que fazer um Raio X e fui até o centro da cidade, fiquei numa sala de espera por umas tr~es horas mais ou menos e estava quase dormindo devido à monotonia do lugar, ninguem para olhar, nada para fazer, então começei a reparar nas funcionárias. As recepcionistas não chamavam a atenção, mas percebi que uma das moças que fazia o raio x tinha uma cara de sem vergonha.
   Começei a acompanhá-la e notei que ela me viu mas fez que não deu bola. o negócio é que ela trazia os pacientes até a porta e logo em seguida chamava mais um e lá pelas tantas começou a me olhar. Na primeira vez olhou secamente, na segunda um olhar mais malicioso, na terceira esboçou um sorriso e à partir daí me olhava a cada vez que abria a porta, até que chegou minha vez de ser atendido, foi então que percebi que até que ela era bem gostosinha, eu não tinha reparado em seu corpo porque estava mais preocupado em olhar em seus olhos cada vez que a porta se abria, pois bem ela me cumprimentou e me pediu que a seguisse e foi em minha frente rebolando aquela bundinha gostosa.
   Entramos em uma sala que ela fechou e eu percebi que era daquelas que não abriam por fora mas fiquei na minha. Ela então pediu que eu tirasse a roupa, ou ficasse apenas de cuecas e como a minha era do tipo boxer, foi inevitável que minha ereção ficasse bastante visivel e ela grudou os olhos em meu pau que estufava aquela cueca de malha fina.Foi então que ela me surpreendeu dizendo que se quisesse poderia tirar a cueca, mas eu sabia que aquele tipo de raio x não exigia que as roupas fossem tiradas mas segui fazendo o que ela pedia. Ao baixar a cueca, meu pau saltou e ela se aproximou olhando bem em meus olhos e segurou firme, fui ao seu encontro tentando beijá-la mas ela se esquivou, não entendi e ela rapidamente se abaixou e abocanhou meu sexo gostosamente e começou a chupar como uma vadia qualquer e eu fui à loucura, que chupada, que mulher era aquela, parecia que tinha nascido para aquilo, ela lambia a cabecinha dando umas mordidas leves, engolia tudo chegando a se engasgar as vezes, praticamente engolia minhas bolas e voltava a chupar a cabeça me levando à loucura. Nesse meio tempo peguei meu celular para tirar uma foto daquela mamada, foi então que ela se levantou, tirou seu avental e baixou sua calça jeans mostrando uma bunda sensacional enterrada numa bunda gostosissima, fui a loucura e mordi aquela bunda, afastei a calcinha e chupei aquela bucetinha por trás e ela gemeu muito, sem perder tempo enfiei naquela buraco quente molhado e gostoso, dei algumas estocadas e ela me disse que teria que fazer o raio X, então estiquei a perna machucada e ela fez a "chapa". Ela ainda caiu de boca de novo e me mandou colocar as roupas, puxei ela e meti mais um pouco até gozar, dei meu telefone para ela mas nunca mais à ví, que delicia aquela morena, mas infelizmente só tive ela uma vez...

terça-feira, 3 de maio de 2016

131-Abusando da minha timidez

      Como já falei em outros contos sempre fui muito timido e algumas situações me intimidavam ainda mais uma delas era minha amiga Mara, que era daquelas amigas de infância que vivia grudada em mim. Mara morava aqui perto de casa e passava as tardes em minha casa enquanto seus pais trabalhavam e assim foi durante toda a nossa infância. Na adolescência ela começou a se mostrar bastante atirada e isso me inibia demais ela havia se tornado uma bela mulher e muito gostosa mas as brincadeiras que ela fazia me deixava completamente desarmado.
   Como minha tinha piscina, Mara volta e meia ficava aqui tomando banho de sol e foi inevitável que eu da janela de meu quarto me masturbasse vendo aquela delicia com a bundinha pra cima. Porem um dia Mara me viu e veio tirar satisfação e eu muito envergonhado saí de casa sem destino com medo que ela contasse o que fiz para meus pais, mas descobri que ela não tinha dito nada, mas ela mudou comigo e começou a se insinuar cada vez mais, certo dia veio aqui em casa com uma amiga, a Daiana e as duas ficaram só me provocando, naquele dia não tinha ninguem em casa nem as empregadas estavam e aproveitei para tentar alguma coisa era tudo ou nada, ou comeria aquela gostosa ou faria o maior fiasco de minha vida.
   Sabendo que ficariam em minha casa até a noite fiquei no meu quarto totalmente pelado e até sabia que Mara já tinha me visto assim algumas vezes afinal de contas eu estava em minha casa e aqui faço o que quero na hora que quero, então começei a ler um livro enquanto aquelas duas tomavam um banho de sol. Mas volta e meia eu ia na janela para me deliciar com aquelas delicias, numa das vezes notei que só Daiana estava deitada à beira da piscina, estranhei , observei aquela delicia mais um pouco e me virei para voltar à minha cama quando vejo Mara na porta de meu quarto com seu biquinizinho que não tapava quase nada me olhando, e eu ali com o pau durissimo apontando pro teto. Ela se aproximou e perguntou em meu ouvido: -Posso chupar esse pauzão? Dei um sorriso e respondi:-Só se depois eu puder chupar essa bucetinha. Caímos na risada e Marinha se ajoelhou e caiu de boca no meu pau, que delicia sentir uma boca ali, ela lambia meu saco, chupava só a cabecinha e as vezes engolia tudo me deixando completamente maluco, foi inevitável que gozasse naquela boquinha, ela chegou a se engasgar, mas deitou em minha cama e afastou a calcinha do biquini e disse , agora é tua vez e eu chupei pela primeira vez uma bucetinha, mas não sabia direito como fazer, introduzia a ponta da lingua e percorria toda aquela bucetinha molhada e Mara só gemia e dizia que estava muito bom.Ficamos nisso e resolvemos descer para a piscina e fazer companhia para Daiana que agora estava deitada de frnte com as pernas levemente abertas mostrando que tinha um bucetão e eu só de olho naquilo tudo, estufado pelo biquini amarelo. Mara viu meu interesse e me pediu que mostrasse o pau para Daiana, ela fez cara de surpresa mas nem se mexeu de onde estava e Mara falou: -Tu não me disse que tava louca pra chupar um pau? Abri o roupão e Daiana ficou me admirando, me senti um Deus naquele momento, foi quando Daiana perguntou se poderia Chupar. Nossa, um virgem ouvindo aquela pergunta pela segunda vez no dia era demais, Daiana caiu de boca de um jeito desajeitado, mas boca é boca e no pau nunca é ruim, deixei ela se divertir e explorar todo meu pau e ela assim fez, demorei para gozar dessa vez, afinal de contas recém havia gozado com Mara. Daiana disse que tinha adorado e aí foi minha vez de fazer um pedido, queria comer as duas no meu quarto e elas se olharam , sorriram e subimos para o quarto. Ao chegar pedí que as duas ficassem de quatro na minha cama e pela primeira vez em minha vida tive a minha disposição duas verdadeiras "cavalas" em minha frente, e aí foi minha vez de explorar, primeiro beijei a bunda de Daiana, depois a de Mara, logo em seguida lambi o cuzinho de Daiana e depois de Mara e assim eu ia revezando e já de pau duro de novo(como era bom ser adolescente), me levantei e  perguntei pra Mara como eu fazia para comer os dois cuzinhos e ela confessou que era virgem, imagina se teria dado o cuzinho, mas me avisou que teria que passar algum óleo para facilitar a penetração. Isso era fácil pra mim eu tinha vaselina liquida, foi só abrir minha gaveta, passei naqueles dois cuzinhos e passei no meu pau pra não ter erro e começei pela Daiana bem devagarzinho, primeiro a cabecinha e tirei, depois um pouco mais e tirei até que consegui enfiar até o saco e aí começei a bombar(ou bombear), me agarrei naquela bunda e meti com vontade Daiana gritava de prazer e dor e Mara só olhava com o dedinho na bucetinha, segurei para não gozar e parti pra cima de Mara que se mostrou mais receptiva, mas achei estranho que ao enfiar tudo, na hora que tirei o pau ele veio meio cagado, como nunca tinha comido um cú nem sabia o que era aquilo, mas não esquentei, pedi que ela se limpasse e voltasse pois queria sua bucetinha, ela se levantou meio envergonhada e foi se limpar, limpei meu pau e pedi que Daiana me chupasse e ela chupou agora com mais experiência, mas me confessou que não tinha gostado de dar a bundinha, perguntei se queria experimentar na bucetinha e ela com um sorriso sacana disse que sim e começei a meter naquela gostosa e quando tirei o pau ví um pouco de sangue, Daiana era realmente virgem. Quando Mara voltou me disse que estava envergonhada, mas eu à convenci que aquilo era normal, tinha lido muito sobre sexo anal e sabia que aquilo acontecia as vezes, ela me beijou, me fez deitar e sentou em meu pau de um jeito muito sensual, gozei mais uma vez. Comi aquelas gostosas durante alguns meses, mas tive que parar porque Mara engravidou, nós éramos muito inexperientes e nem usamos preservativos. Mas a primeira vez não esqueço jamais.