Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

124-Hipnotizando a Secretária



     Depois de alguns anos de estudo finalmente ele poderia exercitar o seu novo dom  a hipnose. Testou com amigos e amigas, parentes próximos vizinhos e vizinhas e finalmente estava apto a ajudar os outros. Acontece que todo o ser humano tem seu lado perverso e com ele não foi diferente, começou a testar seu dom com as empregadas da casa e acabou se dando bem, inclusive sexualmente.
   A primeira Vitima foi Maria, sua empregada encarregada de cuidar da casa, ela era uma senhora muito educada e ele sempre ficava cuidando ela com o canto dos olhos e sabia se tratar de uma bela mulher. Um dia pediu que dona maria senta-se em seu sofá e começou a conversar com ela sobre assuntos diversos ee aos poucos foi hipnotizando sua velha empregada.
   Ao perceber que estava dominada ele pediu que ela se levantasse e tirasse a roupa lentamente peça por peça e ela assim fez, primeiro tirou o avental de serviço e nessa hora ele chegou a se surpreender com aquele belo corpo, não era nenhuma deusa, mas seu corpo era perfeito, pelo menos ele achou assim. Ela vestia uma lingerie bastante atrevida para sua idade e ele gostou disso, pediu que desse uma voltinha e se maravilhou com aqiele bundão. Pediu que se aproximasse antes de tirar o soutien, e viu bem de perto saltar aqueles seios enormes, seios que ele tinha uma vontade enorme de tocar desde que maria veio trabalhar em sua casa, ela jogou o soutien para o lado e ele educadamente segurou aqueles seios com as mãos, mal cabiam em suas mãos de tão grandes e eram firmes além de muito volumosos.
   Aproveitou que estava ali e chupou um a um enquanto sua empregada não esboçava reação alguma, ele não poderia perder aquela chance que talvez fosse única e pediu que tirasse a calcinha, que guardou em seu bolso, ele tinha um fetiche por calcinhas e colecionava varias de suas amantes. Ela obedecendo tirou e ele colocou ela deitada em seu sofá com as pernas abertas e chupou aquela fenda que segundo ele era deliciosa, ela continuava sem ter reação nenhuma agia friamente como um robôzinho, mas um robôzinho de carne e osso gostosinha.Naquele momento ele achou que havia exagerado um pouco com a experiência e resolveu não penetrá-la, mas alisou aquele corpo todinho e pediu que ela se vestisse e voltasse para o trabalho  e em pouco tempo dona maria voltou para sua rotina como se nada tivesse acontecido e realmente para ela nada aconteceu.
   Naquela tarde foi para seu escritório e deu de cara com a nova secretária ele nem lembrava o quanto ela era gostosa, loira bundinha empinada, cara de safada mas casada e isso era um impecilio. Só que quando bateu os olhos nela pensou que hoje seria o dia de comer aquela delicinha que nunca havia dado bola para ele, pediu que ela fosse em sua sala e antes trancou a porta principal do escritório para evitar interrupções, voltou e ao se aproximar viu Janete com as pernas cruzadas e não teve dúvidas era hoje. Começou a conversar pausadamente olhando nos olhos dela e aos poucos foi dominando seus sentidos, pediu o mesmo que havia pedido pela manhã para dona maria, que tirasse a roupa lentamente e Janete assim fez, ficando apenas com sua lingerie preta que realçava muito bem sua pele branca levemente bronzeada. Deixou-a só de calcinha e disse que chupasse ele como se estivesse chupando um sorvete de creme, ela fez com maestria, tanto que ele gozou depois de alguns minutos, foi quando sem ter muito tempo a perder pediu que ficasse de quatro bo sofá cama que ele tinha no escritório para quando precisasse dormir por ali, e ela assim fez, ele se encaixou, segurou seus quadris e meteu devagar naquela bundinha apertada, bombeou até gozar de novo não sabia se iria ter outra ereção facilmente então pediu que o chupasse novamente e ela era boa até inconsciente, seu pau cresceu de novo e ela veio sentar nele e rebolou como uma mulata de escola de samba ele ficou esgotado e pediu para  que ela se vestisse, mas antes guardou no bolso sua calcinha preta, e ele foi destrancar a porta principal antes que ela percebesse que estava trancada, ao vê-la de volta ainda pensou, que gostosa essa minha secretária. Pediu então que ela lhe levasse um cafezinho e ficou conversando com ela que realmente não desconfiou de nada que havia acontecido, só ficou curiosa que estava sem calcinha mas isso ele descobriu meses depois...




quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

123-A Mulher do Porteiro


    Moro em um grande prédio aqui na Capital gaúcha, sou solteiro e busco aproveitar os grandes momentos da vida de todas as maneiras principalmente nas aventuras sexuais que me envolvo.
   Em frente ao prédio existe um buteco onde volta e meia costumo dar uma passada pois as batatas fritas e o bife à milanesa ali são incomparaveis. Neste mesmo buteco conheci o novo porteiro de meu prédio e passamos a conversar bastante principalmente sobre futebol, ele torce para o Grêmio e eu para o Inter e as discussões e apostas são quase que inevitáveis. Numa tarde de muito calor entrou no tal buteco uma morena sensacional, tinha cara de vagabunda mas era gostosissima, vestia um pequeno short de jeans todo enfiado na bunda o que chamou e muito a atenção de todos que ali estavam, eu era o único sóbrio já que frequentava o tal lugar só pelos petiscos e não pelas bebidas.Pois bem, descobri que a mulher se chamava Deise e tinha ido buscar o marido que já estava completamente bêbado. Fui gentil e me ofereci para ajudar a moça. Ao chegar no pequeno apartamento localizado no térreo do prédio ajudei Deise a colocá-lo na cama e ao vê-la se abaixando para ajeitar o marido pude perceber que aquela bunda era muito melhor do tinha achado , era uma verdadeira delicia vinda do nordeste.
   Deise ajeitou o marido e me convidou para um cafezinho e já foi dizendo que o marido depois que bebia só acordava no final da tarde, teria sido uma indireta? não sei, só sei que fiquei assanhado sozinho com aquela morena no pequeno apartamento.
   Começamos a conversar e descobri que o velho porteiro tinha casado com Deise quando ela era apenas uma garotinha e que tinha ensinado tudo para a garotinha que agora havia se transformado num verdadeiro mulherão. Eu ouvia seu relato e já imaginava ela nua em minha frente, ela falava e olhava no fundo de meus olhos o que me deixava ainda mais excitado, eu teria que comer aquela coisinha querida.
   Perguntei se ela sempre usava aquelas roupas curtas e ela confessou que adorava se mostrar já que o marido não dava mais conta, foi aí que perguntei: -não dá conta de que?, ela com um sorriso lindo disse que o marido já não se interessava por ela e ela por isso se sentia muito carente. Falei à ela que um corpinho daqueles seria perfeito para mim e eu saberia como tirar o máximo proveito dele e pedi que me mostrasse os seios, ela fingindo vergonha disse que não poderia fazer aquilo mas notei que estava excitada e pedi de novo, ela tirou a blusa e saltaram dois seios grandes e firmes que logo foram acariciados e chupados por mim, ela gemia baixinho então pedi que tiresse aquele shortinho apertado, ela tirou e surgiu uma calcinha bem pequena toda enfiada naquele bundão moreno, alisei, beijei, lambi, mordi, meti o dedo fiquei louco com aquele bundão e arranquei a calcinha (que acabei guardando de recordação) e lambi aquele cuzinho, sempre ouvindo seus gemidos agira cada vez mais altos.Virei-a e caí de boca naquela bucetinha depilada e ela agora gemia alto e eu metia a lingua, não resisti muito e meti meu pau naquela grutinha gostosa, ela parecia virgem de tão apertadinha e entrelacou suas pernas em minhas costas, fazendo com que eu penetrasse bem fundo.Dei um gostoso beijo em sua boca e pedi que me chupasse e ela fez com bastante inexperiência o que me chamou muito a atenção, foi então que pedi que babasse bastante meu pau pois eu ria comer sua bundinha, então Deise me surpreendeu dizendo que nunca tinha dado a bundinha, o marido não se interessava pelo sexo anal e ela tinha muita curiosidade, tive que fazer o sacrificio e aproveitando que tinha no bolso a minha vaselina liquida preferi fazer um trabalho bem feito afinal de contas era um tremendo bundão. Lubifiquei bem seu cuzinho e botei a cabecinha bem devagar, pedi que relaxasse e que me dissesse se estava doendo ou não, a menina era obediente, fazia tudo que eu pedia, acabei gozando naquela bundinha e quando olhei em seus olhos ví lágrimas correndo, dei um beijo em sua boca e perguntei o porque daquele pequeno choro e ela confessou que tinha adorado aquela tarde. Convidei Deise para trabalhar em minha casa e ela passa os dias inteiros aqui e eu ensino tudo que posso para ela que aprende muito rápido, mas no sexo ela está ficando cada vez melhor.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

122-A Caixa do Meu Supermercado



      Aquilo tudo parecia loucura, mas eu não conseguia mais ficar longe daquele supermercado, mas quando conhecia aquela guria praticamente enlouquecí e não pensava em mais nada à não ser comer aquela  coisinha linda.
   Ela era uma daquelas guriazinhas até meio bobinha, tipico  da idade eu sabia mas era encantadora pelo menos para mim. Fiquei sabendo que tinha dezoito anos recem completados, tinha olhos castanhos, e ela dizia que eram cor de mel e os cabelos caídos nos ombros eram negros e a pele era bronzeada, descobri depois que adorava tomar banho de sol na casinha em que morava com a avó em cachoeirinha.
   Passei a frequentar aquele supermercado todos os dias e muitas vezes eu nem tinha necessidade em entrar lá mas era só para ver minha musa de perto. Infelizmente ela não me percebia, não sei se era indiferença ou se ela simplesmente não me via, mas eu comparecia ali todos os dias sempre no mesmo horário.
   Até que um dia a sorte começou a sorrir para mim  e depois de mais uma compra daquelas em que não precisava ela me olhou nos olhos e deu um lindo sorriso, foi perfeito para mim minha noite estava completa.
   Na manhã seguinte lá estava eu comprando pão, leite, achocolatado, chocolate em barra, balas, e demais guloseimas, ela passava tudo e me olhava até que não resistiu e disse : -nossa só coisa boa, adoro tudo isso, foi quando respondi que quando quisesse seria minha convidada para aquelas guloseimas e o que mais quisesse, quem sabe um belo jantar, foi então que seu olhar se iluminou e na mesma hora perguntei que horas ela saia, ela me confirmou que as sete estaria livre, não perdi tempo e fui buscá-la.
   Quis fazer todas as preliminares antes de experimentar aquela delicia, convide-a para um lanche rápido, depois fomos ao cinema e então para minha casa, ao chegar lhe ofereci algumas guloseimas e ela se deleitou comendo leite condensado, foi então que disse que leite condensado era bom de qualquer jeito até no sexo. Ela me olhou cheia de curiosidade e perguntou como assim?
   Expliquei que leite condensado despejado em um corpo como o dela era gostosissimo de se provar, ela nesse momento se aproximou de mim e nos beijamos e começamos um tremendo amasso, logo em seguida fomos para a banheira e começamos a descobrir nossos corpos, alisava cada pedaço daquele corpo ainda juvenil e inevitavelmente fiquei excitadissimo, me levantei e meu sexo ficou próximo de sua boca, ela delicadamente beijou a cabecinha e depois abocanhou gulosamente, curti aquele momento mas eu queria mostar para ela como se degustava o leite condensado, ajudei-a a se levantar, enxuguei seu belo corpo e fomos para a cama, busquei o leite condensado e começei a despejar em seus seios médios, quase fartos e fui chupando, desci pela barriga e ao chegar em seu sexo despejei mais um pouco e caí de boca, a menina delirava de prazer e eu adorava aquela cena, ela levantou e ficou esfregando sua bela bunda em meu sexo, eu por minha vez segurava seus seios, ela pediu para me chupar de novo e deixei ela sabia fazer um bom boquete, pedi então que abrisse as perninhas e meti lentamente sentindo cada centimetro das paredes de sua vulva, ela gemia alto e pedia mais, fiquei por um bom tempo bombeando ali até que falei em seu ouvido que queria sua bundinha gostosa, ela se ajeitou de quatro e comi aquele cuzinho apertado com muito carinho, no final das contas ela virou minha amante....

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Caipirinha do Interior


    Sempre morei na cidade grande mas tambem sempre mantive minhas raizes no interior do estado onde eu tinha uma grande familia e volta e meia ia visitá-los.
   Numa de minhas visitas ao chegar me deparei com uma linda menina que ajudava minha tia noa afazeres da casa que era bem grande e dificil de ser cuidada sozinha.Após as apresentações me disseram que a moça era filha de um morador antigo da cidade que eu conhecia há muito tempo.
   Como bom cidadão urbano, o que mais me fascinava no campo era a natureza e naquele local tinha um riacho onde eu costumava me banhar e relaxar ficando ali sem pensar em nada só ouvindo o canto dos pássaros e o barulho caindo da pequena cachoeira que ali desaguava.
   Pois bem, num final de tarde fui para meu recanto preferido e ao chegar me deparei com a moça que ajudava minha tia ali, completamente nua, bem à vontade. Ela não me viu e preferi me esconder para apreciar aquele pequeno monumento ali nua em minha frente.Ela ficou ali um bom tempo e eu completamente paralisado só admirando aquela pequena deusa, depois de um bom tempo ela saiu da água, se enxugou, vestiu sua roupa sensualmente e foi embora. Aproveitei para ir à um local mais isolado e ao lembrar da bela ajudante acabei me masturbando por ali mesmo sem perceber que estava sendo observado, dei um pulo e fiquei branco feito papel quando percebi que ela me olhava e eu ali com o pau na mão sem ter o que dizer.
   para minha surpresa ela se aproximou , segurou meu pau e continuou a minha masturbação, com a mãozinha delicada . Tirei sua saia e sua calcinha e ela sussurrando pediu que eu a chupasse, tive que fazer o sacrificio e caí de boca naquela grutinha deliciosa, me ajeitei e tentei penetrá-la, mas não foi possivel, ela era muito apertadinha, me confessou que era virgem, então tentei com mais força e aí sim rompi seu himen acompanhado de um grito abafado por mim com uma das mãos, depois de tudo dentro virei-a por cima de mim e pedi que rebolasse e a menina aprendia rapidamente, se não tivesse sentido a dificuldade duvidaria de sua virgindade e ela acabou gozando muito, era lindo ver seu rostinho sentindo prazer, ela então tirou meu pau do meio das pernas e começou a chupar e aí sim se mostrou profissional, confessou depois que adorava chupar os amigos que passavam por ali, acabei gozando em sua boca e ela engoliu tudo, deixando escorrer um pouco em cima de seus belos seios. Dei um beijo em sua boca apertando sua bunda deliciosa, pedi que colocasse a calcinha para ver a beleza daquela bundinha emoldurada, começei a ficar excitado de novo mas  acabei deixando para o dia seguinte, estava anoitecendo....