Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quinta-feira, 31 de março de 2016

129-Minhas "Novas Irmãs"

    Tinha doze anos quando meus pais se separaram e tive que escolher onde morar, com meu pai ou com minha mãe.e acabei optando em morar uma semana com cada um, minha mãe demorou um pouco e começou a namorar e meu pai resolveu se casar de novo e sua mulher era lindissima, ex-modelo, do tipo gostosa mesmo e tinha três filhas com a mesma idade que eu com uma diferença de dois anos cada uma e tambem muito lindas, acabamos vivendo como irmãos(mas na realidade não eram). Nos primeiros dias elas me tratavam com certa frieza mas o tempo foi passando e acabei sendo o brinquedinho delas.Os anos passaram e eu com quinze anos estava no auge de minhas punhetas e minhas "irmãzinhas" eram minha inspiração, minhas musas.
  Tânia era a mais velha e sempre chegava em casa tarde, estudava à noite, já estava com vinte anos, tinha uma carinha de safada e não se importava de trocar de roupa em minha frente, eu adorava, mas ficava só nisso
   Vania tinha dezoito e suas curvas eram impressionantes, cada dia mais gostosa, quando me via vinha conversar e contar seus namoros como se fossemos amigos de infância.
 E Iara tinha a mesma idade que eu e dormia no mesmo quarto que eu, as vezes dormia na mesma cama, afinal de contas era minha"irmãzinha" e meus pais não viam maldade nisso
   Eu ficava sozinho em casa nas manhãs e nas tardes só pensando em sacanagem e foi assim que a história começou.
  Numa manhã, estava deitado com Iara e ao acordar me surpreendi com sua camisolinha toda levantada deixando aquela bundinha de fora, ela usava uma calcinha levemente enfiada e não pude deixar de admirá-la, fui ficando de pau duro e começei a me masturbar olhando aquela delicia ali ao meu lado. Nisso ela fez um movimento e começou a acordar, fingi que dormia só que esqueci de me cobrir para esconder minha ereção, com os olhos semicerrados ví que pela primeira vez ela me olhava diferente, começou a fixar o olhar no meu pau que por dentro da cueca estava durissimo.Sem saber o que fazer, fingi estar acordando e como sempre fazia dei um beijo em seu rosto e deitei de novo, Iara então me perguntou se podia ver meu pau, fiquei com medo que alguem viesse ao quarto mas ela me disse que não tinha ninguem em casa, então baixei a cueca e joguei para o lado expondo meu pauzão pela primeira vez para alguem. Iarinha pegou, alisou e disse que era lindo me ver assim e eu respondi que estava assim porque estava olhando para ela, então ela ficou de quatro na cama mostrando aquela bunda pra mim, e foi minha vez de alisá-la, que pele macia, pedi para chupar seus peitinhos e ela sorrindo tirou toda a roupa e ficou ali nua á minha disposição, chupei os peitinhos e desci para experimentar uma bucetinha pela primeira vez, que delicia ver uma mulher se contorcendo de prazer com minha lingua, pedi então que ela me chupasse e ela assim fez. Nesse dia não à comi, mas foi aí que minha vida sexual começou, minhas "irmãs" ficaram sabendo e começaram a se revesar em minha cama, Iara me chupava, vania me deu a bucetinha e Tania que era a mais experiente me deixou comer se cuzinho gostoso.Como todos os amantes, ou quase todos, começamos a nos descuidar e um dia a empregadinha que era nova me pegou sendo chupado por Iara e perguntou se poderia chupar tambem e acabei ganhando mais uma musa, a moça era um tesão e fodia como profissional, sabia tudo de sexo e quando minhas "irmãs" não estavam em casa era ela que eu comia.
   Um dia convenci a Tania e a Vania a me darem ao mesmo tempo e enquanto comia uma chupava a outra, Tânia teve que sair então pedi para Vania seu rabinho gostoso e ensinei ela a ser enrabada, nossa, ela era a mais gostosa, botei ela de quatro e bombei muito naquele cuzinho e nem ví que minha madrasta nos olhava, ao perceber que estava ali acelerei os movimentos e gozei naquela bundinha, minha madrasta então entrou no quarto e perguntou o que era aquilo, Vania correu para o banheiro e minha madrasta me deu uma bronca.Sem saber o que fazer me levantei, mas só estar perto daquela gostosa e sentindo aquele perfume fiquei excitado de novo e como não tinha nada a perder disse que só tinha comido Vania porque não podia comer ela , seus olhos brilharam e dei um beijo em sua boca, ela nem reagiu, pedi que me chupasse e ela caiu de boca, que chupada, pedi que ficasse de quatro e comi aquela doçura e ganhei uma amante muito gostosa que como a Tania, adorava dar o cuzinho, passei a morar em definitivo naquela casa e numa tarde na piscina eu e todas minhas mulheres fizemos uma grande orgia, mas aí é outra história.

quarta-feira, 9 de março de 2016

128-Comendo a Amiga Casada da familia

     Tenho 22 anos e quatro de casado. O fato que vou contar aconteceu no inicio de 2012, fim de janeiro, e como o calor era muito forte alugamos uma casa de praia pra passar alguns dias, e pra não ficar pesado o aluguel dividimos com mais dois casais amigos nossos.

A casa era grande, espaçosa e com três suítes. Ficamos eu e minha esposa em uma, o Luiz e a Claudia em outra, e a terceira com o Marcos e a Lívia. A Livia era uma mulher gostosissima e com uma cara de safada, era o tipo de mulher que eu sempre quis comer.


Eu nunca tinha notado nem um olhar mais atrevido dela pra mim, mas depois do primeiro dia na praia, ela começou a exibir seu corpo com um micro biquíni que mal cobria sua bucetinha e a parte de cima cobrindo apenas seus mamilos, passei a notar seu olhar insistente pro meu corpo, mesmo depois de estarmos em casa todos vestidos.

Fingi não perceber nada pra não gerar nenhuma desconfiança nem por parte da minha esposa nem da Lívia.

No outro dia fomos todos à praia logo de manhã, pois queríamos ver o nascer do sol, e por lá ficamos até por volta do meio-dia. Nesse meio tempo, no banho de mar, eu cortei o pé em algum objeto ou coral, sei lá, e voltei pra casa mais cedo.


Retornamos pra almoçar e tomamos algumas latinhas de cerveja, Pra mim bastou duas latinhas pra fazer com que eu ficasse sonolento e com vontade de dormir. Juntou a cerveja mais a lombeira depois do almoço, e foi o suficiente pro meu corpo pedir cama.

Eu fui pra minha suíte, mas ao passar pelo quarto de Livia vi ela se livrar do biquíni, passar uma água no corpo e colocar uma camisolinha bem curta e se deitar na cama. Por volta das 14:00hs todos resolveram voltar pra praia, menos a Livia e eu que estava  com meu pé cortado.

Notei que o Marcelo, marido de Livia, foi ao quarto lhe chamar, mas ela estava naquele estado de hibernação em pleno calor e parecia fingir estar dormindo. Sem a mínima vontade de se levantar da cama.

Depois de lhe chamar várias vezes e lhe sacudir na cama, como não deu nenhum sinal de acordar, ele resolveu ir sozinho com os outros.

Apesar da sonolência eu não estava dormindo, apenas queria descansar meu corpo e esperar passar aquela lombeira que me deixava com o corpo mole. Passado cerca de meia hora depois que eles saíram pra aproveitar o mar e o sol da tarde, fui ao quarto de Livia para lhe chamar e testar seu sono .

Ela não respondeu e Ficou como  estava, como se tivesse num sono profundo. Depois de lhe chamar várias vezes e não ter nenhuma resposta, eu cheguei mais próximo à  cama, e chamei,  sacudi, e ela na mesma.


Resolvi arriscar e toquei seus lábios levemente. Ela poderia sentirdia sentir meu hálito e minha respiração ofegante, talvez de ansiedade ou talvez de medo que ela acordasse.

Depois de me chamar mais uma vez e de sacudir seu corpo tentando lhe acordar e sem ter resposta, Começei a alisar sua  bundinha, que estava toda de fora me dando também uma linda visão da sua buceta.


Depois de alisar sua bunda eu abri suas nádegas e passei a língua  no seu rego, lambi seu cuzinho e depois sua bucetinha já bastante úmida de desejo. 

Depois de lamber sua buceta eu a sacudi de novo, e lhe chamei, para me certificar se ela continuava dormindo. Como vi que ela continuava dormindo, eu à virei de bruços, me posicionei e fui enfiando minha rola dura em sua buceta bem devagarinho.

Depois que entrou tudo eu fui metendo com movimentos bem lentos,  com medo de lhe acordar, até que senti meus jatos quentes  inundando aquela buceta. Nossaaa!! Parecia que eu não ia parar de gozar ela era muito gostosa e o medo do perigo me deixava com mais tesão ainda. Depois eu retirei o pau devagar, assim como coloquei, e sai de sua cama.


Voltei para meu quarto e fiquei na cama  até que todos retornaram da praia. 


No outro dia fomos todos à praia e o eu com meu pé inflamado e inchado fiquei em casa. Voltaram todos  lá pelas três da tarde, tomamos banho e emendamos nos petiscos e cerveja. Tomei minhas duas latinhas, que já me deixou meio grogue, mas fingi ter tomado muito mais.

Fiquei no meu quarto quando ví que todos iriam sair inclusive minha mulher, mas Livia iria ficar era minha nova chance de comer aquela gostosa e fiquei na minha até que todos foram embora.

Notei que assim que sairam Livia tirou toda a roupa e se deitou completamente nua, peladinha. Ao ver a luz do quarto acesa pude admirar a visão do seu corpo nu. E não demorou muito para eu abrir a porta do quarto e chamar.

E, como ela não respondeu, entrei, e á sacudi chamando pelo seu nome, e mais uma vez sem resposta não perdi tempo. Abri sua bucetinha pra sentir meu cheiro de fêmea no cio, e depois já cai de boca naquela buceta já encharcada de desejo de receber meu pau.

Eu á chupei por vários minutos, subi até seus seios e chupei um de cada vez,  deixando ela arrepiada e seus mamilos durinhos. Depois eu beijei sua boca e fui socando minha vara grossa e dura naquela rachinha, que gulosa, foi engolindo tudo.

Que sensação maravilhosa sentir aquela gostosa gemendo no meu pau ,comendo aquela buceta, jorrando meu esperma lá dentro. Depois de gozar e encher aquela xoxotinha com minha porra grossa, viscosa e quentinha, sai e deixei ela na mesma posição.

Eu queria desfrutar ao máximo daqueles momentos. Lá pelas nove da noite mais uma vez fui até o quarto de Livia,  balançei ela de novo, depois abri sua buceta, que ainda tinha minha porra escorrendo.

Novamente eu meti meu cacete . Dessa vez eu fudi com mais força, chupei seus peitos com mais vontade e gozei como um cavalo.E senti que ela gozou tambem.Ela então se contorceu  e balbuciando algumas palavras como se estivesse acordando.

Fingiu que eu era seu marido e falou  com voz de quem ainda estava dormindo:
- Aiii, Marcelo... meu amor... me fode gostoso... me fode mais!!!
Falou isso e fingiu dormir de novo.

  Eu então sai de cima dela, fui ao banheiro, trouxe papel higiênico e limpei minha porra daquela buceta e depois sai .


De manhã, quando acordamos, fomos pra cozinha. O Luiz e a Claudia já tinha preparado o café, e depois vieram o Marcos e a Lívia. Tomamos café, comemos, e conversamos como se nada tivesse acontecido.