Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A Mãe Deliciosa do Zeca


           

Sempre vivi rodeado de mulheres bonitas e gostosas,sabe como é, mas poucas vezes aproveitei  isso. Nas vezes que aproveitei foi devido aos amigos e foi inesquecível. Por exemplo, meu amigo Zeca tinha em casa cinco belas mulheres, duas irmãs mais velhas e duas mais novas além da mãe dele que era uma coroa deliciosa.e melhor ainda, viúva. Um dia cheguei cedo do treino de atletismo e fui direto pra casa do Zeca contar as novidades, entrei direto pois sempre me senti em casa naquela casa que era colada na minha.Como não vi ninguém pela casa fui direto e aproveitei o chuveiro de lá que era bem melhor que o meu, tomei um belo banho e sai pela casa pelado mesmo, afinal não tinha ninguém. Acontece que eu estava super excitado e ao passar pelo quarto da mãe do Zeca, dei uma espiada e me surpreendi ao ver que ela estava em casa, ela me chamou e eu disse: -perai que vou colocar uma roupa, e ela respondeu que queria falar comigo assim mesmo.Então pensei, vou levar uma bronca, e foi o que aconteceu, ela me disse que poderia entrar na sua casa a hora que quisesse, mas andar pelado pela casa não.Então ela apontou para meu pau duríssimo e falou que assim era pior ainda.Dona Tânia estava só de lingerie em sua cama e isso me deixou ainda mais excitado, mas respondi que sempre ficava assim ao sair do banho. Num gesto rápido e me pegando desprevenido ela segurou meu pau e disse, nossa, como tu cresceu, e que pauzão.Mas ai eu falei que ela não mexesse muito senão eu iria gozar, mas ela continuou e eu disse,olha dona Tânia, uma mulher gostosa assim só de ver eu gozo, imagina segurando meu pau.-Tu me acha gostosa?já pensou em me comer?Respondi: -pra dizer a verdade já, e muitas vezes, adoro esse corpaço e principalmente essa bunda gostosa que tu tem. Dona Tânia pediu para chupar meu pau, respondi que sim é óbvio e ela abocanhou engolindo todo.que boca, que chupada, começou na cabecinha, passou pelas laterais, chegou na base, chupou o saco,uma bola de cada vez, era uma especialista e perguntava: tá gostando? –quer chupar minha buceta?já chupou uma?,não? Então vem que te ensino e abriu as pernas, tirou a calcinha minúscula que usava e foi me dirigindo.ela me mostrou o clitóris onde me concentrei, e chupei muito aqueles lábios tão sonhados por mim, pedi para meter naquela buceta e ela disse, claro querido, é toda tua, mas vai devagar que faz tempo que não dou.Fui  colocando bem devagar e ela ia gemendo e me arranhando as costas e eu ia intensificando as estocadas, agora sem piedade, ela delirava e pedia mais, pedi então que ela realizasse meu sonho de comer aquela bunda tão gostosa, ela me surpreendeu dizendo que nunca tinha feito sexo anal, coloquei ela de quatro, era uma visão espetacular, coloquei um creminho, introduzi um dedo, depois outro e em pouco tempo ela estava pronta pra receber meu pau agora mais duro que antes e fui bombando, gozei como nunca, mas parei ao ouvir um barulho na porta, era Janine a irmà mais nova de Zeca que estava espiando e se masturbando na porta, mas essa é outra história. Passei quase três anos comendo dona Tânia e hoje ainda faço umas visitas para aquela mulher que mudou minha vida.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Vivi Boquete


                                                          

    Resolvi contar minha primeira experiência sexual que aconteceu há muito tempo, eu vivia sempre com uma turma de garotos da minha idade.A turma era formada por mim e mais quatro amigos e Vivi, uma vizinha muito chata, que sempre estava com a gente. Tudo que fazíamos Vivi fazia junto, até que chegou a época das descobertas sexuais, consequentemente a masturbação. Foi aí que a turma descobriu que a chata da Vivi, poderia nos ajudar. Começou assim, estávamos contando histórias que havíamos lido nesses sites de contos eróticos, e cada um estava com o pau mais duro que o outro, foi quando o Pedrinho falou para a Vivi que se ela quisesse continuar nossa amiga, teria que nos masturbar, ela nem pensou duas vezes, só perguntou como teria que fazer e já foi pegando no pau do Pedrinho e começou a punhêtá-lo, a turma ficou ainda mais excitada(se é que isso era possível), e um à um fomos pedindo aquela “punhetinha amiga”, e ela fazia, parecia estar muito à vontade, foi então que tive a ideia de pedir para que ela me chupasse, ela fez uma carinha de safada e pedui que isso ficasse em segredo entre nós, que delicia sentir pela primeira vez uma boquinha macia chupando meu pau, ela foi aprendendo aos poucos e eu acabei gozando naquela carinha tão conhecida por mim.Só que Vivi, acho que ficou com vergonha e saiu correndo, começamos a conversar e resolvemos não ir atrás dela. Mas à partir daquele dia as brincadeiras com Vivi foram ficando cada vez mais deliciosas, e todos queriam comer a querida Vivi, a nossa putinha. Vivi era magrinha, quase não tinha bunda e nós nem ligávamos para isso, só queríamos aproveitar nossa amiguinha, que agora era a boqueteira da turminha. O tempo passou e só ficamos nas punhetas e nos boquetes, porque Vivi não deixava irmos além e nós nem sabíamos que podia melhorar.Passaram-se alguns anos e Vivi começou a ter curvas quase que espetaculares, estava ficando uma delicia. Um dia ela apareceu lá em casa, cumprimentou minha mãe e foi ao meu quarto, disse que queria me mostrar uma coisa, quase caí quando vi o biquíni que ela vestia, era daqueles que só tapavam a bucetinha, ela levantou o vestido e ficou desfilando pra mim e como cresceu, aí eu à agarrei e a joguei na minha cama, pensei, agora eu como essa gostosa, me enganei,Vivi começou à fugir, mas quando eu mostrei meu pau pra ela, não teve jeito ela caiu de boca, era minha chupadora oficial. Gozei naquela boca e nunca mais vi Vivi, mas não esqueço dela, Vivi Boquete estará para sempre na minha cabeça, e ainda fico pensando, quem será da nossa turma que comeu ela?

Krent -Sexies Stories