Rota RGB 05

Rota RGB 05
Siga a Rota RGB 05

quinta-feira, 28 de março de 2013

Prima Tesão


           Ela sempre foi minha musa. A primeira masturbação foi pensando nela, sempre ficava excitado pensando nela, o tempo passou, ela casou, teve filhos, mas continuava um tesão. Como eu era um de seus primos preferidos(pelo menos ela dizia), era sempre convidado à ir pra praia com ela, e lá ia eu com minha mochila. O marido era muito ausente, sempre interessado em ter mais e mais e o filho estava indo para o mesmo caminho, passsavam o tempo todo viajando.
    Um dia , brigaram feio e foram embora da casa de praia, o marido e o filho, a filha muito companheira da mãe resolveu ficar. Já estava tão gostosa quanto à mãe, mas meu tesão ainda era maior pela mãe, não tinha jeito. À noite começamos à conversar e confessei que ela era a musa de minhas "punhetas", desde a adolescência, ela disse não acreditar, então falei que a primeira vez que à ví com um biquini pequeno cheguei a me masturbar três vezes seguidas, ela duvidou, aí provoquei dizendo que gostosa do jeito que ela era se eu à visse com aquele biquini vermelho era capaz de gozar muitas vezes, ela se levantou e foi colocar o tal biquini.Ao entrar na sala, aquele "monumento", com aquele biquini, aqueles seios fartos saltando, aquela bunda maravilhosa, me levantei e não deu para disfarçar meu pau duríssimo, ela chegou perto e disse:-Nossa, nem fiz nada e já tá assim? , abaixei a bermuda e disse para ela pegar nele, ela pegou, nossa, quase gozei naquela hora, só com aquele toque, ela segurando me disse que era muito grosso, e eu respondi dizendo que era todo pra ela, ela então se ajoelhou e colocou na boca, fazendo o melhor boquete da minha vida, pelo menos até aquele momento, gozei como um adolescente e pedi que continuasse, ela então com a habilidade de uma quarentona continuou, mas aí foi minha vez, abaixei o biquini e caí de boca naquela bucetinha que tanto havia sonhado, que delicia de mulher, chupei cada pedaço daquela coisinha gostosa. Me deitei de barriga pra cima e pedí que ela me cavalgasse, ela fez com a suavidade de uma amazona, gozamos juntos outra vez. Ficamosabraçados algum tempo, eu alisando aquelas coxas, aquela bunda, aqueles seios, e o pau dando sinal de vida de novo, mordi sua orelha e disse que meu sonho era acordá-la, colocando meu pau em sua boquinha carnuda e depois comer sua bunda gostosa, logo pela manhã, ela respondeu que era só acordar cedo que deixaria sua porta aberta, já que sua filha estava em casa, mas me avisou que a bundinha eu precisaria comer agora, mas com muito cuidado, pois o marido nunca quis e era muito apertadinho. Nossa, eu pensava que não existissem homens assim, tão troxas, casados com uma mulher daquelas, com uma bunda daquelas...
   Lambi seu cuzinho, introduzí um dedo, peguei um creme, introduzi dois dedos, três e ela foi relaxando, era a hora de uma parte do sonho se realizar, coloquei-a de quatro, encostei a cabeçinha e fui introduzindo devagar naquele cuzinho apertado, me segurei para não gozar, bombei bem de leve, cravei as unhas naquela bunda maravilhosa, começei a meter com vontade e gozei, acabei dormindo e fui para meu quarto, mas antes confirmei com ela se poderia "acordá-la".Ela disse sim.
   Pela manhã, na escuridão de seu quarto, entrei, fui alisando aquelas coxas, tirei a calcinha, lambi aquele sexo gostoso, lubrifiquei seu buraquinho anal e comecei a introduzir, ela acordou e eu fui mais ne´rgico nos movimentos, pedí que ficasse de quatro, ela atendeu mas senti que já não estava tão apertadinha quanto o dia anterior, acendi a luz e vi que quem eu comia era a filha gostosa, nossa que mulher sensual que ela havia se tornado, era uma putinha cheia de malicia, gemia baixinho e disse que adorava sexo anal, gozei muito naquela bundinha. Nos olhamos e começamos a rir, nos dávamos muito bem mas nunca pensamos em transar, havia sido um engano, confessei à ela que achava que era sua mãe, então ela me confessou que havia assistido tudo na noite anterior e que ao saber que a mãe sairia cedo, foi dormir em sua cama esperando por mim. Pedi que não contasse à sua mãe e o sonho de "acordar" minha deusa ficou para outro dia.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Colega de Trabalho


          E lá estava ela...Ele nunca imaginou que fosse "aquilo tudo'. Claro que de uniforme ela até que era gostosinha, mas ao vê-la na rua com aquela calça justa, de top, tendo suas formas realçadas, era uma loucura. 
   Ele não resistiu e foi falar com ela, pelo menos ver se ela lembrava dele, haviam trabalhado juntos por um mês e conversavam muito naquela época, era das poucas colegas que lhe dava atenção.
   Chegou perto deu um "oi" e perguntou como estava a vida e ela começou a contar que tinha acabado o namoro e que agora estava disponivel, a solta no mercado e toparia qualquer aventura. Ele com muita cautela perguntou se "qualquer aventura"incluiria um ex-colega de trabalho, ela sorriu e disse que estava aberta para tudo, foi etão que ele resolveu investir. Chegou junto à seu ouvido direito e disse que ela era o tipo de mulher queno enlouquecia só de olhar, e assim o papo foi rolando, cada vez mais animado e excitante, até que ele resolveu fazer o convite: -vamos lá em casa? Ela topou na hora e foram. Ele foi ficando cada vez mais confiante, pegou sua mão, pois adorava andar de mãos dadas, depois colocou as mãos em seu ombro e ao chegar em seu prédio, colocou as mãos em sua cintura, e ao abrir a porta puxou-a e deu o melhor beijo de sua vida, afagou seus cabelos, acariciou sua nuca, depois beijou, então colocou as mãos em sua gostosa bunda, que delicia de mulher ele pensou.Perfeita, corpo todo malhado devido à exercicios diários na academia, seios pequenos e gostosos de serem sugados, coxas bem torneadas, que foram devidamente acariciadas. Aquela tarde foi inesquecivel...Depois de muito sexo ele olhou para ela e pediu um abraço apertado e que depois ela confessaria que foi o melhor de sua vida...

sexta-feira, 15 de março de 2013

A "Poupinha"

     Mariazinha tinha crescido e não se dava conta que agora era um mulherão e continuava à andar com suas saias curtas pelas ruas de sua pequena cidade do interior. Os olhares sempre se dirigiam para aquela "poupinha"que surgia por baixo da pequena sainha que ela usava . Sem se importar com os olhares ela ia e vinha pro colégio sempre pelo mesmo caminho, mas quando chovia ela tinha que pegar aquele ônibus lotado. A primeira vez que subiu no coletivo sentiu algumas "mãos bobas", mas não deu muita importância, afinal aquele ônibus estava lotado. Com o passar do tempo e com a chuva que caia na região, mariazinha teve que pegar cada vez mais o coletivo, e aí é que ela começou a perceber que atraia a atenção de muitos...
   Numa segunda feira à tarde ao pegar o coletivo, mariazinha pensou até em desistir, mas ela havia se preparado para aquele momento, estava com sua calcinha nova, do tipo "asa delta", bem enfiadinha naquela polpuda bundinha.E dessa vez ela estava preparada para tudo. Ela entrou e parou no corredor, e já na primeira parada sentiu uma mão lhe alisar carinhosamente. Depois, alguem parou atrás dela e começou a toca-la timidamente, mas como não havia rejeição, foi se soltando, alisando, apertando aquela gostosa bundinha, e chegando a enfiar um dedo maliciosamente em seu delicioso orificio rosado. Mariazinha se arrepiava e delirava com aquela ousadia, mas era hora de descer e ela foi para casa satisfeita por ter ousado tanto em suas atitudes.
   No dia seguinte não choveu, mas Mariazinha pegou o coletivo, dessa vez sem calcinha, e na terceira parada entrou o time de futebol da cidade, pois o ônibus da equipe havia quebrado. Cada um dos atletas que passava por mariazinha dava uma "alisada"na polpuda moça. Por último o centroavante da equipe, o mais audacioso, parou atrás dela e não contente em alisar, apalpar e enfiar os dedos em todos os buracos, tirou seu membro para fora e com a ajuda dos colegas que fizeram uma pequena barreira para que os outros usuários não percebessem, começou a penetrar a mocinha que gemia deliciosamente. Ali Mariazinha foi penetrada pela frente, por trás e ali naquela tarde a moça inocente perdeu a virgindade, mas o coletivo ganhou uma fiel usuária.

quinta-feira, 7 de março de 2013

A Gordinha da Padaria

   
     Ela não era muito gorda, mas a gurizada massacrava seus ouvidos chamando-a de "baleia", e mesmo que eu pedisse que parassem com aquilo eles não perdoavam e com certeza jamais transariam com ela, mas ela tinha algo de especial e eu estava cada vez mais encantado por ela.Na nossa turma, como em qualquer turma, tinha o garanhão, aquele que pega todas, não perdoa nehuma, mas o da nossa turma tambem não encararia a "gordinha".Mas ela tinha muitos encantos, principalmente as pernas, e que pernas, verdadeiros coxões, que me enlouqueciam só de imaginar.Comecei a namorar a "gordinha", mas o caso não foi muito longe, eram apertões, beijos ousados, pequenas chupadinhas em seus peitões,mas nada muito sério, o romance acabou e nunca mais à ví, até esse verão em Tramandaí.
   Estava eu ali observando aqueles belos corpos sob o sol e uma morenaça de parar o trânsito nào tirava os olhos de mim, até olhei para trás achando que ela olhava para outra pessoa, mas constatei que era comigo mesmo. Não contente em me observar veio em minha direção com um gingado incrível, ao chegar perto e levantar os olhos percebi que era a carolina, minha paixão de infância, ficamos conversando por horas até que ela me confessou que sonhava em transar comigo, afinal eu havia sido seu primeiro namorado e eu tive que "fazer o sacrificio", nossa, a carol estava uma delicia, imaginem só se na adolescência, gordinha, eu já gostava daquele corpinho, imagina agora. Convidei-a para ir ao meu apartamento e fomos com os trajes de banho mesmo. já no elevador comecei à acariciar aquele corpinho, ela estava deliciosamente gostosa e disse isso em seu ouvido, e ela soltando um gemidinho confessou: -Gostosa, com tesão por ti e já molhadinha. nossa aquilo um incentivo ainda maior para mim, aproveitei para beijar aqueles seios que tanto chupei na adolescência, mas estávamos no elevador e o tesão teria que esperar....naquela tarde comi gostosamente a Carol e ainda ganhei aquela bunda maravilhosa. Passei o verão inteiro com ela e depois ela teve que voltar para o interior, mas a Minha "gordinha" eu jamais esqueci.